30.9.07

pérola literária

ave maria, o que falar a respeito de um livro com um título desses? não li, não conheço o autor e não tinha ouvido a respeito até pegar o manhattan conection começado e ouvir a 'dica', mas perder os comentários (humpf). dar um google? preguiça. só mesmo pra pegar a figurinha da capa.

enfim, de duas, uma:

ou esse heverton anunciação é na verdade o pseudônimo duma dessas mulheres com mais de 30, desesperadas pra casar, tentando encontrar a rendição em forma de livro de auto-ajuda

ou um daqueles caras que, nerds de outrora, vivem a adolescência na idade madura, agora que viraram cool e pegadores (de barangas muitas vezes)

(só falta o autor ser um puta intelectual, professor da unicamp, mestre em filosofia e phd em psicanálise. e pesquisador.)


p.s.: o que será que significa o adendo ao título, dentro do parêntese (versão metrópoles)? medo, muito medo da resposta.
p.s.2: se ainda não foi, o autor irá logo mais ao instrutivíssimo jô soares responder essa e outras perguntas previamente preparadas pela produção. se melhorar, estraga

escolha de sofia

o que é pior, motoboy de segunda a sexta ou sunday driver no fim de semana?


(e por que será que a natalie dee sempre tem resposta pra tudo?)

29.9.07

rococó dos jetsons

eu ando enlouquecida com peças barrocas, principalmente inseridas em contextos modernos. mais do que isso são essas mesinhas (e outras peças) dos designers andré barros e guilherme leite ribeiro, da nada se leva: o desenho é rebuscado lá de trás, mas o material é acrílico hi tech. o preço, imagino, não é affordable (se é que isso não é engrish e, se não for, tb não tenho idéia da grafia).

e já que eu citei a loly, a dupla tem outro móvel que também é demais: "o sofá lolla foi inspirado na silhueta feminina e traz formas e curvas arrendondadas, enriquecidas pelo revestimento em seda prateada". palavras da revista dcasa, da editora escala. que não conhece a figura-pessoa, mas a decreveu a figura-peça tal e qual.

27.9.07

i speaks engrish


meu inglês não é dos melhores.

na verdade, acho melhor falar que ele não é dos piores.

se bem que...nunca vou me esquecer da vez em que tentei dizer para um inglesinho fofo que eu adorava saxophone e larguei um "i loooove sax". só que o sax eu sei lá até hoje como se fala, só sei que saiu com som de sex, meu, e eu deitada na grama toda lânguida, you know, ele só olhou assustado pra mim o infeliz.

bom, toda essa ladainha para falar que o engrish é o site mais engraçado da internet.

minha seção preferida é a de menus, que traz coisas como wine and bear (em vez de beer) e um bland new hot dog.

mas nada como esta bolsa do spoony.

vamos juntos?

agora pouco, ganhei um presente. um algodão doce rosa gigante, embalado num pacote do playcenter. fiquei master feliz. uma das coisas de que mais gostava no parque era esta guloseima. as outras, empatadas, eram a barca vicking e a monga. comer o algodão doce no parque tinha um ritual: eu comia pipoca, depois o algodão e ia brincar de acertar a argola ou a boca do palhaço - pra não vomitar em algum brinquedo mais agressivo. e comer o algodão tem uma técnica que o deixa mais gostoso. você pega um superpedação, coloca interno na boca, espera diminuir de tamanho e mastiga aquele açúcar final como se fosse um chiclete. foi o que fiz hoje. delícia.

26.9.07

o papaya cresceu (mas os peito non!)

trabalhando juntas, que nem criança
a miculin agora entrou na dança
quis fazer parte do papaya
mas não engana, queria é gandaia
quero ver se vai postar direito
ou se vai ficar falando do meu peito
e olha, tu também não tem, lorão
usa enchimento, põe até algodão
quando tira o sutiã, que vergonha,
cai tudo no chão!
quando faz bobagem, dá risada
vem no nosso quadrado contar a cagada
faz com o dedo sinal de L na testa
chama a si própria de loser, fazendo festa
bem vinda miculin!

bronze da barra

a última coisa que me lembro ter lido sobre bronzeamento foi a história de tomar sol com tiras de fita crepe coladas no quadril imitando aqueles biquinis estilo asa-delta, só para usar calça de cintura bem baixa e deixar a marquinha à mostra (acredite: tem quem ache isso sexy, ou, neste caso, sécsi). para quem duvida que há quem faça isso, é só ler aqui. mas essa 'moda' não pegou.
recebi um e-mail agora pouco falando do menu do boa bistrô em homenagem à adriana barra e, ao abrir as fotos anexas, vi que a estilista tomou um solzinho com algum retalho de tecido no rosto, que deixou umas marquinhas bem mais estranhas do que as das meninas cariocas citadas na matéria do g1. será que os mais moderninhos vão "aderir"?

p.s.: a mancha deve ser da foto, e não da adriana. resolvi fazer um post sobre isso pois não tinha nada para escrever, e a xita tava quase me obrigando a fazer meu primeiro texto aqui.
(muito prazer, sou a miculin)

moving on

existem dois temas neste post, que até guardam entre si uma contradição.
é que saiu hoje na folha uma entrevista com a elza soares e me fez resgatar do passado o maior loser da (minha) história, o 'bafão'. aquele péssimo chefe que falava mal de todas as pessoas que, diferentemente dele, tiveram (e mantiveram) sucesso na vida. e, claro, metia a boca na cantora, com um humor sarcástico sem resquício de inteligência, apenas cheio de mágoa e inveja alheia.
mas nada como deixar o que passou pra trás. e é justamente isso o que elza fala na entrevista, porque além de talentosa, a mulher é sábia.
"eu vivo o hoje. se o hoje não está bom, encaro como se fosse um chato que veio perturbar a paciência."

e chato, no caso do 'bafão', soa brando, é eufemismo. o hoje, sem sombra de dúvida, é zilhões de vezes melhor. mas pra gente, é claro.

prato do dia: depende da temperatura

é segundona brava e tudo o que você quer é fugir do trivial – pelo menos naquilo em que lhe dá mais prazer: comer. e já que o almoço fica por conta do restaurante da empresa, aquele que não permite sequer um desejo atendido, programe seu bem-estar para quando voltar para casa.
em uma panela de pressão, deixe o grão-de-bico de molho o dia inteiro. quando chegar em casa, antes mesmo de trocar de roupa ou ligar a tevê, o som ou o computador, coloque as bolinhas para ferver.
a partir daí, tudo começa.
você terá meia hora para fazer o que bem quiser. se tiver a mesma sorte que eu, coloque o jornal espalhado no chão e retoque aquele quadro que estava horrível e, graças à ajuda de suas amigas, virou uma obra de arte.
trinta minutos se passaram. é hora de ver o grão.
se estiver calor, vá de salada de beterraba e cenoura raladas, alface, parmesão e molho de iogurte. se não estiver... retire e amasse cerca de 15 bolinhas até formar uma pasta. em uma frigideira, aqueça o azeite, refogue o alho, o tomate sem pele e sem sementes, e junte a pasta. jogue a mistura na panela de pressão, mas não tampe. coloque um caldo de legumes e adicione água, que é para dar o caldo da sopa de grão-de-bico. enquanto isso, despedace algumas fatias de pão sírio em uma forma, regue com azeite, uma pitada de sal e muito zattar, e coloque para assar. longe do forno, fatie as mussarelas de búfala e regue com um fio de azeite. deixe a sopa apurar, o grão amolecer e o aroma chegar até a sala. se for preciso, coloque mais água e corrija o sal.
falta pouco.
leve para a sala uma bandeja com as torradas de zattar, a mussarela e a bebida. comece a provar. no final, é só buscar a cumbuca de sopa que ficou na cozinha e presentear seu corpo com todo o calor que ele merece em uma segunda-feira chuvosa.
porque nem toda segunda-feira é dia de virado à paulista.

18.9.07

turn it on

sou do tempo em que videoclipe (está assim no houaiss) era o que havia de mais legal em termos musicais. tinha as estréias na mtv - que passavam a cada duas horas - , o novo do michael ou da madonna com exclusividade no fantástico e, o melhor de tudo, o programa clip trip da tv gazeta. mas ainda bem que outros saudosos colocam as pérolas musicais no youtube. os clipes de hard rock dos anos 80 e 90 são os melhores. cabelos repicados ao vento, calça justa, microfone para o alto e berrinhos. separei aqui três deles que tem em comum o final. e não é só isso, todos colecionam detalhes pra lá de interessantes.

def leppard - pour some sugar on me
repare: na calça do vocalista fazendo aquela divisão na frente

alice cooper- house of fire
repare: no guitarrista , que quebra uma porta de madeira, pula, cai no chão de joelhos e faz seu solo

firehouse - don´t trat me bad
repare: no dedo da mocinha que se transforma em chama quando ela o assopra. pirotecnia pura.

16.9.07

augusta ink

se fazer tatuagem já é, em si, uma coisa prazerosa (tirando a dor, que pode ser brutal), fazer tattoo no zeca é diversão garantida. dá pra ficar 5, 6 horas no estúdio dele, gastar, sofrer e ainda sair feliz. e nós (nói, pra nói) amamos esse programa. porque o zeca (apresentado pela bigu) é tudo. gente boníssima, engraçado, preço justo e bom pra caralho no traço. num é que ele até conversa sobre escatologia com a gente?

ah, claro, o zeca também lembra de "ruas de fogo"

né?

trash 80's da boa

muito embora (e graças a deus) não tenha caído na onda chatíssima de revival dos anos 80, "ruas de fogo" é um clássico da época. não lembro se na sessão da tarde - na bundagem deliciosa de depois da aula - ou mais à noite, já que tinha cenas fortes pra crianças, mas foi uma constante no canal 5 (!). o que eu sei é que as meninas queriam ser a ellen aim e namorar com o tom cody. e vice versa.
pra mim e pra um monte de gente (porque eu fiz enquete) a cena memorável é a última, na qual ela canta "tonight is what it means to be young" num show performático que ele assiste, da porta, quase até o fim: ele vai embora. pra sempre. tem no you tube e eu tô viciada há duas semanas. é muito bom.

porque o vestido dela é tudo. e o cabelo. e a coreografia.
os "soquinhos que ela dá no ar, enquanto canta cheia de emoção
a câmera que foca nele saindo pela porta e então volta pra ela, expressão de sofrimento, prevendo a partida
ele indo embora, a calça santropeito estilo anos 50 (época em que se passa a história)
a presença indispensável - com direito a passinhos coordenados - de vários backing vocals
e a música, hummm, a música...

14.9.07

pipi room

por mais que essa imagem aí do lado seja praticamente uma cópia fiel da minha pessoa, o post é sobre sinais de banheiros públicos. aqueles que indicam em quais nós, mulheres, não devemos nunca sentar. neste site tem do mundo todo, de todo tipo: fofo, esquisito, hilário, preconceituoso.

o da pizza, na minha opinião, é impagável.




















13.9.07

wait!








and see me at the roses studio tatoo.

a fruta da xita

cagaita: "grande quantidade gera efeito laxante, responsável tanto pelo nome popular como pelo científico."
é isso mesmo... achei aqui.
se a xita fica sabendo que o obá serve (quando não está em falta) uma sobremesa que acompanha uma geléia de cagaita... ave maria...

11.9.07

pra começar bem o dia

ingredientes:
pão preto
queijo de cabra com ervas
mel

modo de fazer:
toste o pão, passe uma camada generosa do queijo e, por cima, espalhe o mel.

coma em seguida e morra de prazer

8.9.07

o casamento do meu melhor amigo

ela já tinha assuntado comigo sobre modelos de vestido e onde comprar. mas até aí, ok, quando se vai a um casamento, nada mais natural. depois ela veio tentar me convencer de que minhas sobrancelhas estavam diferentes uma da outra - só pra que eu fosse com ela (re) fazer as dita cujas - para o tal casório - , embora faça menos de um mês da nossa última tirada. aí fomos almoçar juntas. ela (ela!) estava de dieta, claro, para o casamento.

então fico sabendo que teve até teste de maquiagem!

pai do céu, será que a gente vai chegar no jornal segunda-feira e descobrir que quem casou com o franthiesco foi a loli? e que ela estava na verdade se preparando para o "se alguém tem alguma coisa contra que fale agora ou cale-se para sempre"?

arte naïf. literalmente

já que a lola tocou no assunto aqui sobre nossos enfeitinhos de mesa, nada mais justo do que fazer um post em homenagem à falecida boneca-pênis. que jaz em algum lixão (ou sex shop) da cidade.

é que eu já tive uma bonequinha de feltro. cor de pele, saia branca, lacinhos prendendo cabelos de lã. presente de uma ex-cunhada fera na costura, ficava à mostra no meu escritório, como devem ficar os enfeites.

eis que influenciada pela instalação da mesa da cuca, resolvo levar a boneca para adornar a minha. e eis que, para minha surpresa, meu vizinho, o da frente dele, o de trás, o do lado, todos os editores e quem mais estivesse por perto viram naquilo um pinto de pelúcia. um pinto de pelúcia carinhosamente levado por mim ao trabalho.

não houve contra-argumento que aliviasse minha barra. de frente, de costas, de ponta cabeça - e meu vizinho fazia questão de mostrar todos os ângulos - aquilo era um objeto descaradamente fálico.
capitulei, cheia de vergonha e indignação. nada contra toy art ergonomicamente sexual. mas elas não devem ser presenteadas como bonequinhas de feltro. não para pessoas sonsas como eu.

5.9.07

meu, o que vc tá fazendo???

não faço a mais comunicativa da net, mas sou adepta de boa parte dos programinhas de relacionamento da tal. no entanto, convenhamos: o twitter não é de se apetecer. se ele explora a curiosidade sobre a vida alheia e disso a gente gosta, ainda assim, tudo tem limite. uma coisinha que virou moda com a pergunta ‘o que você está fazendo?’ não pode tomar a devida proporção. pois bem, esse microblog ganha mais e mais usuários a cada dia e eu, curiosa que sou, fico só vendo o tanto que ele cresce e lendo, claro, todas as bobagens que as pessoas colocam lá. o pior é que uma das maneiras de ele publicar os textos em tempo real é recebendo as letrinhas por uma mensagem de celular. e detalhe: para o serviço ficar disponível, o cadastro deve ser feito com o código "55" (já que a mensagem vai para o exterior e aparece na tela só depois). ou seja, torpedo gringo que permite apenas 140 caracteres para você declarar ao mundo inteiro ‘o que você está fazendo’. já leu as mensagens que as pessoas mandam? vai lá. depois me conta por que será que o sucesso é tanto entre os jornalistas. e papayas, não me deixem ter um desse, plis.

monstro discos

quando eu conheci o ricardo, ele vivia dizendo: "o fê vai tocar em tal lugar, vamos?" vamos! (só que nunca dava certo e eu demorei pra ver de perto). mesmo assim, eu já gostava dos ecos falsos. até porque, fácil mesmo é gostar desses meninos simpáticos, barulhentos, de letras boas (muito boas) e uma energia autêntica - sem falar do nome (que você não precisa se preocupar em entender, juro!). na primeira vez que assisti a um show deles, sabia que logo mais eles iam conseguir mostrar suas músicas em grande estilo. foi o que aconteceu no último domingo, no ccsp: casa lotada, clima agradável e a galera com as letras na ponta da língua. quer mais pé direito do que isso para o lançamento do cd (descartável longa vida)? agora, nada falta para os ecos. e pra gente, que é amigo e torce junto, é tão bom quanto...