31.10.07

que coisa, minha gente


uma pessoa querida cirou um dos blogs mais engraçados que eu já li é o http://meunomeeregina.blogspot.com/. são posts hilários com coisas que só uma pessoa com título de namoradinha do brasil e que foi pra tv dizer que tinha medo do lula escreveria. uma pena que ele não atualize mais.

enfim, ontem li o blog verdadeiro da atriz, que este mesmo amigo mostrou: http://bloglog.globo.com/reginaduarte/ e para minha surpresa constatei que muito do que está escrito no fictício poderia, sem problema nenhum, ter saído da cabecinha dela. um dos posts dizia o seguinte:
"viemos para florença e o trajeto foi feito de trem (que lastima, que estupidez que o brasil tenha dado as costas a este meio de locomoção tãofantástico...). me refaço da tarde calorenta num quarto construido em 1200(!). e na retina ainda os ciprestes, ( tantos!!!) do caminho.vamos agora ver o por do sol.

fofa, né?
pena que no verdadeiro não encontraremos frases como :
- tô piscando, fagundes. soca tudo.

i'mi noti dike nou...

ontem, porque o marido viajou a trabalho, a cuca dormiu em casa. hoje cedo, dois caras da net vieram arrumar a tv. recém saída da cama, vesti umas roupas largas, sem lavar o rosto prendi o cabelo e fui atender a porta. enquanto eles trabalhavam na sala, a cuca tomava banho e eu lia o jornal de cara feia (literal e metaforicamente). demora no banheiro.

- cuca, tudo bem aí? (como é que eu vou saber que ela fica duas horas no banho? vai que tá passando mal...)

- cuca, quer que eu faça café pra você?

eles já curiosos, ela adentra a sala, cabelo molhado, feminina, arrumada.

eles se entreolham.

casal de sapatas, vá lá. mas ser o macho da relação, já é demais pra minha cabeça!

29.10.07

o prazer de ouvir a conversa alheia


sem pedir autorização da bigudin, reproduzo aqui meu post favorito de todo este blog.


"diálogo surreal no busão
cobrador: mano, você sabe se tem formiga na paulista?

motorista: sei lá. formiga? deve tê, mano.

cobrador: e como é que elas vive com uma pá de gente passando por cima?

motorista: sei lá. elas deve ficá andando pela sarjeta, mano.

cobrador: na sarjeta num dá...quando chove inunda o bagulho e elas morre.

motorista: elas deve então ficá andando na guia.

cobrador: na guia? coitadas mano... se pegá uns motorista come guia que nem você, elas tão ferrada."


e ele serve de aperitivo pra apresentar o melhor blog que descobri este ano, o conversas furtadas. ele parte de uma idéia que eu queria roubar há tempos do overheard in new york: postar conversas ouvidas na rua em um blog. eu achei que seria o único blog meu que iria pra frente, porque eu adoro ouvir a conversa dos outros.


algumas pérolas do "conversas furtadas":

"— Rapaz, eu tô achando que alguma coisa vai dar errada.— Tu acha, pô?— Tenho certeza. Eu sou meio sensual, pô. Eu sinto as coisas. hauahuhauhauhauhauhauahuahuahuahuahauh"


"— Até agora estou esperando aquele tsunami que você prometeu.— Ahn? Tsunami?— Quer dizer, tiramisu..."

28.10.07

almoço de domingo

1) "tem a stephanie e o sportacus. e ele cai, rola, sobe e machuca o tóóórax."
2) "isso é farofa. eu quero. tem azeitona. eu gosto!"
3) "vou comer tudo que é pre depois minha mãe deixar eu ver o lazytown no teatro."

poderia reproduzir aqui uma lista grande de frases declaradas pelo meu sobrinho de três anos, na hora do almoço. mas não consigo lembrar de mais nenhuma depois que ele disse:

>>>"thais, vê se toma um solzinho. você tá muito branquinha..."

7.10.07

antes só...

nada como um dia após um bolo (não o doce, e sim aquele que a gente leva de vez em quando de algum date). depois de passar uma tarde meio deprê, resolvi procurar sites tristes que me fizessem ver que as coisas podem ser piores. achei o iamsad.com.uk, que tem uma seleção de coisas tristes, ruins, boas, bizarras... tem coisas tão toscas e nonsense que são até divertidas (como o ganso que late e faz cocô). também gostei do "the karate date", que me fez concluir que se eu não tivesse levado bolo, as coisas poderiam estar ainda piores hoje.

2.10.07

cotton candy girl


















bigu, o que você e seu algodão doce tão fazendo na capa da ilustrada de hoje?


ok ok ok, nem aqui nem no link dá pra ver direito, mas no jornal... é tu, tatu

vintage sobre rodas

uma das cores da moda é o azul-bic. aquela cor que a gente vai começar a cansar de ver em todas as vitrines da cidade logo mais. e num é que outro dia vi um fusquinha desta cor. achei um luxo, uma mistura de brechó com tendência em formato automotivo. dei um google na imagem e vi que há um monte de fuscas assim por aí. daí fiquei pensando: será que eles estão mais caros agora? e eu que quero uma brasília marrom com banco de couro bege me senti super out diante daquele possante fashion.





a foto não poderia ser outra. dá uma olhada no look da moça.

mais que filosofia

não agüentei!
era pra ser um mero comentário para o delicioso post da xita se não fosse minha curiosidade em saber mais sobre esse gênio da literatura de auto-ajuda. heverton, que não se contentou em ser somente um gerente de informática em curitiba, “usou seu lado exato” para escrever sobre um tema tão... objetivo nos dias de hoje: o casamento. e o que informática tem a ver com a solteirice? bem, as duas datas são comemoradas no dia 15 de agosto. e isso basta!
heverton, o filósofo das teorias e psicologias do amor deixou sigmund freud para trás. como ninguém (ou talvez como sua amiga da foto márcia tiburi), o escritor contribui para a felicidade dos casais (tanto hetero como homossexuais, como ele mesmo gosta de dizer) e ensina, numa mistura de gasparetto e dimenstein, como deve ser:

1) o currículo (em minhas palavras, experiências vividas);
2) os critérios de seleção (ou seriam pré-requisitos?);
3) os filtros de seleção (gostos);
4) os riscos que se corre numa relação (isso mesmo: o dia da caça e o do caçador).
a linguagem do livro, que tem 500 páginas das quais 80 trazem dados oficiais dos fracassos amorosos, deve ser confusa ­– pelo menos para quem não está familiarizado com os jargões de r.h. com tanta genialidade, não é de se espantar que o escritor já tenha participado de vários programas de televisão e rádio, e ainda tenha sido fonte de consulta para um quadro do fantástico. certamente o jô deve estar na lista, sim.
bem, e para falar do livro eu deixo logo abaixo as palavras do próprio heverton. assumo agora que ouvi vinte minutos de entrevista ao josé wille, da rádio globo, além de obter, na íntegra, uma reportagem da consagrada revista manuela. com vocês, as frases do mestre de informática e do amor, que aos 37 anos de solteirice tenta encontrar uma resposta na literatura... claro!

- “eu acho que tenho que usar meu lado exato pra entender todos os dados que estão aí. ibope e ibge não são informações, são estatísticas”.
- “quem se separa são as pessoas que casaram cedo, que se arrependem mais fácil. o casamento de quem casa entre 20 e 25 anos dura entre 8 e 10 anos; já depois disso dura de 15 a 25 anos."
- “as pessoas têm que se dedicar primeiro a elas. esse (?) homem tem que se preparar pra mulher independente e essa (é, ele gosta de falar em esse e essa) tem que se preparar para um homem sensível."
- “é um livro que vale tanto pra homo quanto pra heterossexual."
- “se esse homem casa cedo, os critérios de seleção dele mudam tanto entre os 25 e 30 anos de idade, que depois ele não quer mais saber. principalmente nas grandes metrópoles.”
- “é um livro útil para depois da lua-de-mel, pois a família fala de amor, mas ninguém ensina como conviver depois.”
- “estamos numa era em que aprendemos a separar o que é religião e o que é espiritualidade. hoje, o mesmo acontece para separar o desejo do que é paixão e do que é amor. é muito difícil.”
- “quis escrever sobre esse assunto pois faço voluntariado com crianças e elas viviam me perguntando o motivo da separação de seus pais. foram sete anos de pesquisa.”
- “mulher pede mais divórcio que homem. homem é igual tarzan, só vai pro cipó quando arruma outro."
- “um dos mandamentos pra não dar errado é não jogar na cara do outro os erros do passado. além disso, achar o par perfeito não é como ir ao mercado e comprar uma televisão do modelo exatamente como você queria.”

depois dessa breve, não há como negar: é a obra mais clara e acessível que já vi! e o lançamento da segunda edição está prometido para o próximo dia 10! ave maria...