31.7.08

agenda eletrônica


ói que muderno: no now do this você digita seus compromissos e vai ticando ao longo do dia. não precisa se cadastrar, nem nada. é só clicar em edit list, botar a listinha e salvar. o problema, pra mim, é que é diário, ou seja, doesn't work at all...

jennifer beals



hoje eu estava fazendo esteira em casa e descobri uma música incrível no meu ipod: tears, do giorgio moroder (e então entendi porque call me foi, até enjoar, a melhor música pra jump).
é eletrônica, mas tem um quê de clássica que me fez tirar o tênis e procurar a sapatilha de ballet.
/
hã hã, foi no meio da sala, de roupa de ginástica e meia ponta cor-de-rosa.

30.7.08

older, better


duas senhoras de uns 50 e poucos anos conversando hoje no banheiro do jornal:
/
- estou com um machucadinho que não cicatriza
- você já passou nebacetin?
- já passei na bucetinha, mas acho que foi no lugar errado.
/
(jesus!)
(seria a idade ou o jornalismo mesmo?)

borracharia

no trabalho, você sempre disfarça. está deprimida, mas com cara de feliz. ninguém ali sabe que você experimentou dez calças (e nenhuma serviu) antes de vestir a stretch de sempre ou que sua barriga está enorme (e você usa blusas estrategicamente larguinhas)
por isso recebe um msn assim:
meu orçamento está apertado, mas a sua calça...
/
né?

27.7.08

cabeçada gorda


dar título é uma das coisas que mais gosto de fazer numa matéria. já fiz lead em função de título - o que não é lá muito convencional (e mais complicado). sem falsa modéstia, sou boa nisso (juro que as chefias elogiam!). claro que nem sempre vem de pronto, muitas vezes é trabalho árduo, requer brainstorm (no que eu e a thata somos dupla imbatível).

auto e alheia bajulação introdutória para mostrar que a concorrência é árdua. hoje em dia, até nome de droga pede criatividade e neurônios queimados (hehe):

"uma nova droga está sendo vendida no rio de janeiro: o zirrê, mistura de maconha com crack, também chamada de mesclado ou craconha.o nome zirrê vem de uma referência às cabeçadas do ex-jogador de futebol francês zinedine zidane e uma derivação da palavra francesa désir (desejo)."

isso sim é que é o verdadeiro brainstorm.

25.7.08

fashion joy



para brincar de editora de moda. é só se cadastrar e arrastar os itens para a página em branco da sua revista particular. depois, você pode ver no blog os looks das outras.

gozando com a cara (e o pau) dos outros


responda a pergunta: quem banca o consumo de luxo em são paulo?
/
a. a mini minoria milionária
b. as socialites de ribeirão
c. a zilu de camargo
d. o irmão da eliana tranchesi
e. o consumo da massa
/
ou você achou que a alternativa "e" é pegadinha ou (um pouquinho mais esperto) que a questão deve ser anulada pela falta da alternativa "f. todas as anteriores".
/
quem banca o consumo de luxo em são paulo é o povão, minha gente. o mesmo que paga o carnê do baú todo mês e as 12 prestações do conjunto de rack e sofá de mogno anunciado pelo césar filho, o marido da elaine mickely.
/
não sou eu quem diz, tá na folha de hoje:
/
1. "o estilista americano marc jacobs terá uma loja em são paulo a partir de dezembro, sob os cuidados da empresária brasileira natalie klein, dona da nk store, que está bancando todo o negócio" - ooops, esqueceram de concluir a frase: filha de samuel klein, dono das casas bahia, que bancou todo seu negócio.
/
2. "em início de setembro, a grife de moda praia rosa chá abre a sua primeira loja própria nos estados unidos, em nova york, no bairro west broadway. (...). o empreendimento foi bancado pela marisol -empresa catarinense" - aquela que vende roupa de criança no brás, à baciada.
/
e até tem mais, mas eu tô com pressa. preciso passar meu vestido da renner que hoje eu vou a um balé no municipal. di grátis, of course.

23.7.08

cartunescas

a exposição 'cartoon china contemporânea' fica em cartaz até o dia 31, na thomas cohn. e enquanto 12 obras das chinesinhas han yajuan, li li e wang ke estão lá, outras coisas sensacionais made in china podem ser vistas nesta galeria - inclusive a wang saiu dela.

21.7.08

mostra o piano (os dentes, i mean)


jornalista dá barriga (saiu primeiro no jornal carioca o dia) e o povo, coitado, acredita. depois, mil vezes publicado, em tudo o que é home: fotos de cacciola como prisioneiro, vestindo o uniforme - calça jeans e camiseta branca - do presídio petrolino werling de oliveira (bangu 8), de cabelos cortados. alojamento em que está possui cerca 125 metros quadrados, metade deles ocupados por ele e 32 outros presos com nível superior.
/
cara, basta olhar as fotos. o boniton morava na itália e tava fazendo um h em mônaco. foi reconhecido por olheiros de alguma agência de modelos e chamado pra vir ao brasil, celeiro de tops. chegou aqui como qualquer new face, displicente, cabelos ao vento, rindo. pra fazer o book, teve de tirar as medidas (ó lá a foto da régua que não me deixa mentir), dar um tapa na juba e vestir alguma coisa mais básica - calça jeans e t-shirt lá são uniforme de presidiário? dividiu o estúdio com outros 32, nada mais normal. e o sorrisón, meu bem... top que é top tem de fazer carão...
/
(da série 'crescimento esperancional' - parte 2 - aproveita que é pífio)

crescimento esperancional


sempre há e sempre vai haver notícia ruim no jornal. mas semana passada foi especilmente ruim. mais que isso, desesperançoso. cacciola rindo, daniel dantas fazendo e acontecendo, veronica dantas indo na missa da dona ruth, executivo comprometido, judiciário dividido, pf sem poder trabalhar por um motivo, pm trabalhando errado por outro, gente inocente morrendo baleada, gente culpada dando risada por trás. impune.
de segunda a sexta, a cada notícia, eu só pensava em ir embora deste país porque, de verdade, não existe solução. e melhora, só para inglês ver.
/
mas hoje senti um alívio, que não chega a ser uma luz no fim do túnel (porque, de fato, não acredito que haja). um alívio para os que vão - por decisão ou impossibilidade dela - continuar por aqui. foi uma matéria no cotidiano sobre a queda da taxa de natalidade até por pessoas mais simples, sem escolaridade. está acontecendo agora o que estava previsto só para 2043, ou seja, as pessoas estão mais conscientes. é claro que isso em área urbana, mas já é um começo. porque me lembro (faz tempo, muito, mas ainda lembro) de estudar o assunto no colégio e a progressão de nascimentos ser grande por falta de política de planejamento familiar.
/
lembro até de um causo contado pelo professor: em rincões do país, técnicos de serviço social visitavam famílias para instruir as mulheres a tomar anticoncepcional. mas como havia resistência na questão contraceptiva (talvez religiosa, não lembro), os técnicos diziam que aquele comprimido era de vitaminas*. tempos depois eles descobriram que as mulheres colocavam os comprimidos na comida dos homens para que eles ficassem mais fortes.
*não chega a ser uma esterilização sem conhecimento e/ou consentimento, vai...
/
(aqui uma foto muito mais legal de controle de natalidade. impublicável por chicas finas como yo)

18.7.08

referência é referência

ontem, às 9 da manhã, estava aqui na redação mostrando ao cabeleireiro e maquiador (do ensaio que iríamos fazer) algumas fotos de tranças de cabelo. peguei referências de ensaios, passarela e celebrities. no meio da troca de idéias ele me fala:

- sabe aquela mulher que ficou presa lá na colômbia?
- sei, a indrid betancourt.
- então, no dia da coletiva de imprensa, ela estava usando uma trança incrível, que vinha de baixo, dava umas voltas e passava por cima da cabeça. a gente podia ensinar essa para as meninas.

fiquei sem reação por uns 5 segundos pois ele falava sério. depois emendei:

- mas ela tá com cabelo gigante, por isso que conseguiu este efeito.
- é, tem que ter cabelo grande. a gente pode dar a trança e até colocar uma fotinho dela no rodapé, dizendo para a menina fazer o cabelo da fulana.
- hummm, acho que não é o caso. só se fizermos uma matéria assim: com dificuldade de deixar o cabelo crescer? se jogue nas farc!

ai, ferrér, só você.

17.7.08

sentimento do mundo


há quem faça com perfeição na literatura, na poesia, no cinema, na arte gráfica, até no jornalismo. keri smith, a mesma do post aí de baixo e da imagem aqui de cima, faz de várias formas. traduz um pensamento, uma emoção coletiva.


how to feel miserable as____________.


just fill in the blanket

real beauty 3


esse lolita é tão bom que vem pra cá e vai pra lista también!

paradise is here (?)


"mesmo aquilo que parece mau. ao fim e ao cabo, torna-se bom. na realidade não há mal. papai comparou o mundo com uma fruta e sua casca. a casca não é para ser comida. uma criança tola pode pensar que ela não serve para nada, porém a casca foi feita para proteger a fruta. sem ela a fruta apodreceria ou seria comida por vermes. assim também as nações gentias eram necessárias. "
/
adoro a cultura judaica, em especial livros sobre a shoah. adoro isaac bashevis singer. tô adorando 'no tribunal de meu pai'. mas é preciso ter cuidado. alteridade pode ficar bem próximo de autoridade. assim como gentio de gentinha.

monkeys involution


minha versão com meus irmãos chega a ser naive.

pick a pic


young buddy from israel. she likes old movies, she has good taste (ignorando a demasia inicial do salò)

[la nuit américaine - f. truffaut/1973 * jacqueline bisset + jean-pierre léaud]

real beauty 2



do flickr auto-explicativo songs for the young at heart

16.7.08

a identidade banksy

o jornal inglês mail on sunday diz ter descoberto quem é o banksy: ex aluno de escola pública, nice middle-class boy... via desculpe a poeira, que colocou também o link de um flickr com grafites dele.

15.7.08

seu sérgio

atrasada para o trabalho, chego na garagem e meu pneu está murchinho. daí chamo um táxi. do outro lado atende o seu sérgio ("mas pode me chamar de móoca"). fiquei feliz pois, durante o caminho, sempre sai uma pérola da sua boquinha enrugada pelo tempo. adoro quando ele é o primeiro da fila do ponto.

- ai seu sérgio, cheguei na garagem e o pneu tava no chão.
- no chão?
- pois é...
- e onde estavam os outros?
- ah ahahahah, muito bom seu sérgio.

depois dele explicar o que eu deveria fazer, onde fica o borracheiro mais próximo, quanto pagar pelo pneu etc, ele solta:

- minha filha, num esquenta a cabeça, senão a caspa vira mandiopã.
- ai só o senhor. essa e a do pneu...
- mas olha filha, eu brinquei com você do pneu mas não fala isso por aí...que o pneu está no chão...vão rir de você. fala que o pneu furou.
- ah, pode deixar...

a bruxa tá solta

13.7.08

my daddy rocks

folheando a revista da livraria cultura, bati o olho na seção 'ler para ser' e encontrei uma foto do zeca, o melhor tatuador do mundo (que era da manu e virou meu, da isa, da ju, do fê e do riquinha). bem simpático, na área infantil da cultura e com um fone de ouvido sobre os ombros, ele respondeu...


nome: josé matias
profissão: tatuador
o que comprou: doi cds - elvis for the babies e beach boys para bebê. tenho um filho de apenas dois meses e a criança tem que se acostumar desde muito cedo a ouvir boa música.
cultura é... conhecimento

p.s.: fico devendo a foto real, mas prometo escaneá-la e adicioná-la aqui.

pantanal, parte 2












- você está assintindo pantanal?

- vi uns dois capítulos e você?

- não estou não, mas quando aparece a juma pelada sua mãe me chama para ver.

- legal pai...mas ela aparece metade pelada, né?

- inteira, na abertura.

- não é a juma, é a nani venâncio.

- não, é sim. ela e várias estrela da globo de hoje aparecem. a juma, aquela que faz a propaganda do adoçante, do cal...

- ah, a carolina ferraz, do zero cal.

- olha pantanal é a prova de que não precisa ter um monte de recurso para fazer sucesso. o povão gosta de simplicidade.

- simplicidade, sei...



10.7.08

real beauty

boa parte de tudo o que eu mais amo. materializado aqui.

e esta foto não é releitura, não.

testemunha auricular

///////////////////////////////// o tom é sempre cordial, quase carinhoso - o que talvez se deva ao sotaque mineiro. mas nessa última matéria, sua atenção para com o entrevistado foi ainda maior. e não foi só o tom, não, nem o carinho na voz.

então ontem, eu li a matéria que saiu no aliás domingo passado. chorei, de verdade, no meio da redação. e entendi porque ele pediu o número da conta do entrevistado pra fazer um depósito pessoal.

da série não tem preço:
sentar pertinho do fred, ao alcance da voz.


9.7.08

jane's addiction


rio de piranha

artista decadente apela pra cada coisa que dá dó, muito dó. tem creuzilaine do tipo leila lopes que faz filme pornô e não sai da luciana gimenez. e tem do tipo luciene adami que contrata assessoria de imprensa pra mandar release sem sentido.

"enquanto se prepara para estrear a peça 'as pontes de madson' em março de 2008, onde contracenará com marcos caruso e denise del vecchio, a atriz luciene adami foi surpreendida por duas boas notícias vindas de seu passado. com o sucesso do terça insana, grace gianoukas a convidou para resgatar o seu papel de hostess, função de desempenhou há 7 anos quando o espetáculo estreou no next, e agora se prepara para rever seu trabalho na novela pantanal."

hmmm, e resgatar papel de hostess do passado é boa notícia desde quando? e essa peça que ela vai estrear em março de 2008? ela já estreou o a assessoria errou? e a gente tem interesse em saber de tudo isso porque...
a gente não tem interesse em saber nada disso.

e pantanal por pantanal, sou mais a juma. mesmo ela tendo namorado o rafael pilha numa fase meio pedófila.

4.7.08

achados e perdidos

sexta-feira, aproveito para fazer um post nos 'minutos de fazer hora para o trânsito amainar'. faz umas três semanas que eu entro compulsivamente neste blog e quero guardar ele aqui. além das muitas imagens incríveis (como essa aí do lado), foi nele que achei o blog do jotabê. que faz questão de não figurar no rol dos que têm blog aqui no jornal. e tudo bem porque assim foi mais gostoso de encontrar. foi numa outra sexta-feira, aproveitando para navegar nos 'minutos de fazer hora para o trânsito amainar'...

(hmmm 1: não era para rimar.
hmmm 2: o blog não tem só imagens incríveis. é muito bom.
hmmm 3: é de caso pensado. não há link aqui pro jotabê. não que seja impossível achar...)

meninas, eu vi

a primeira vez que ouvi falar do alex atala foi no começo dos anos 2000. pouco depois, meu irmão luiz assistiu a um documentário sobre ele, falando das trips, tatuagens - do estilo de vida de certa forma outsider pra um chefe de cozinha de certa forma mainstream (ele já era dono do d.o.m.)
/
tanto pelo conteúdo da mensagem como pelo mensageiro (eu e meu complexo de electra fraternal...), fiquei encantada pelo chefe - e mesmo com o meu chefe presente em uma reunião de pauta no jornal, em 2004, reproduzi o já reproduzido (para mim) documentário, acrescentando elogios tipicamente femininos. mezzo vergonha, si.
/
e então, no mesmo ano, entrevistei (ok, por telefone) o cara e, humm... foi bom para mim.
/
um ano depois, tivemos eu, a tha e a manu a chance única e exclusiva de ver, a olhos nus, o dom do alex. não, não fomos ao restaurante. na mesa da revisora da trip, a print de uma versão da foto publicada em que as mãos repousavam ao lado do corpo (alvoroço na redação). que a mulher dele (sabiamente) não aprovou.
/
hoje saiu um pequeno ping com ele na revista de moda da folha. pequeno e com partes meio brochantes como quando ele diz que gosta de paul smith e burberry, usa comme des garçons e não acha que as gravatas, camisas e cuecas brasileiras têm corte bom (ok, o assunto é moda). mas aí vem a última pergunta, que traz de volta o alex do meu imaginário*:
/
- você tem algum vício fashion?
- tinha. adoro relógios e tinha uma coleção com 17 modelos. mas vendi todos para montar o d.o.m.
/
*com as mãos ao lado do corpo, só de relógio...
/
(brincadeira. mas é que uma única resposta outsider é capaz de deletar todas as nove outras mainstream. é ou não é muito nóis?)

3.7.08

fui de táxi

(numa terça-feira à tarde)
você viu o gol?
mmm, gol? de domingo? são paulo, palmeiras? já sei! alemanha?
não, o gol!
é, não sei. que gol?
o gol novo.
ah, o carro?
isso! tá boniiito.
é mesmo? como tá?
sedan, lindo. é lindo carro sedan não é?
é? acho que é.
...
(dois minutos depois)
o problema do paulistano é que ele quer sempre estacionar o carro na frente do lugar que ele vai. não é?
mmm, é?
é, o cara não pára se não achar uma vaga bem na frente. folgado!
mas será que não é por segurança?
não adianta. se tiver de roubar, vai ser em qualquer lugar.
mas se tem movimento, alguém na porta, é melhor. fora o conforto de não ter mesmo de andar a pé. né?
é nada. é preguiça.
tá bom. é sim.
depois, se não tem vaga, por que não pára mais distante e pega um táxi até o lugar? e a gasolina de ficar dando volta? besteira!
e o preço do táxi? quem paga? bobagem!
é. isso é.
...
(ainda)
e os caminhões? com essa norma aí o trânsito melhorou?
mmm, não sei. melhorou? dizem que sim.
não sei, você que é repórter.
ah, tá. claro.
...
(por último)
com essa lei seca, vou ficar na frente dos bares pra levar os bêbados pra casa.
é uma boa. assim ninguém leva multa e coisas do tipo.
mas e se alguém bêbado quiser me bater ou me ameaçar? porque nunca trabalho na 'noite', não sei como funciona. como é?
mmm, não sei.
mas você não é repórter? o que o povo fala?
olha, na verdade, acho que as pessoas não gostam de falar muito quando estão bêbadas. e se for mesmo desse jeito, corre um grande risco de apanhar.
ai, moça. é que eu gosto de ouvir as opiniões dos outros.
não diga. é mesmo?

(chato. chato. chato).