30.6.09

CERCAS DE LÃ ROSA CHOQUE




trabalho lindo de lacey jane roberts

MARLBORO WHITE





sobre a nova lei do obama em relação à quantidade de nicotina, cores nas caixas de cigarros e outras cositas más. 

BRITISH BOY



ahaha. o vídeo mais verdadeiro (e fofo) que eu já vi.

PUNK, ME? OW REALLY?

chego a londres e resolvo (claro) mudar o cabelo.

- isis, eu preciso e não posso esperar. não aguento mais essa coisa na minha cabeça.
- pena que hoje não tem academy, que dava pra fazer de graça. vai custar uns 50 pounds.
- então vou aqui no bairro mesmo. tá bom... chego lá e peço pra ela cortar como eu quero.
- se estiver algo errado, você grita, grita, grita.
"i want a fringe shorten at the back and the side from just a trim. i do NOT wanna lose lenght in the front apart from having the fringe. and the back you can do layering a bit".
e a cabeleireira do bairro: "man, you´re too punky."

(thanks god, isis was with me).
p.s.: the lily color will come next. e como tudo tem seu preço, esse episódio custou 18,50 libras. :)

BEBÊ PARA VIAGEM


dá para comprar aqui.

FUNEMPLOYMENT



swissmiss

FILHOTE DE CRUZ CREDO COM AVE MARIA

in a galaxy far far away, num cio furi furioso, hello kitty (boooooring) encontra chewbacca e... dá à luz chew kitty. e não para por aí. hello wars, a saga continua!

SOUTH AMERICAN WAY



"ontem, um grupo de celebridades (junior lima, marcos mion, bruno gagliasso, entre outros) resolveu se reunir para criar o @twpirata, um perfil no twitter que pretendia fazer uma ação na noite de segunda-feira, dia 29 de junho, para conseguir colocar alguma tema no trending topics do twitter (tópicos mais comentados do microblog). a ação foi uma cópia da iniciativa do @christianpior, que fez a campanha #chupa, no domingo, e chamou a atenção de ashton kutcher, que estava comemorando antecipadamente a vitória dos estados unidos no jogo contra o brasil na copa das confederações! ashton entrou na brincadeira e retwittou o termo, que acabou ficando em primeiro lugar nos trending topics 
ação de ontem foi meio vergonhosa! as, cof, celebs, além de copiar a idéia, copiaram o tópico também e usaram a tag #forasarney como 'munição'. conseguiram entrar no trending topics mas quando foram pedir a ajuda do 'bróder' ashton novamente:

'somente vocês têm o poder de realizar o impeachment do seu senador. é o SEU país. VOCÊS têm que lugar pelo que acreditam. eu não tenho voto!'

mais nada a declarar... só um cartoon, claro."

o ótimo texto "ashton te despreza!", de vic matos, eu transcrevi aqui. mas pra ver o cartoon tem que entrar no blog dele, de onde também peguei o vídeo acima. 

O DIA DA REDAÇÃO


parte I

hoje é sábado, amanhã é domingo
e eu estou no jornal, de plantão
os amigos tomam cerveja no bar
e eu trabalho forçado na redação 

hoje é sábado, amanhã é domingo
e o tempo aqui é moroso
é muita maldade o sol brilhar lá fora
mas por via das dúvidas, livrai-me meu deus da morte de um famoso.

hoje é sábado, amanhã é domingo
amanhã estou novamente na redação
hoje é que é dia de tomar várias
o dia é sábado (e eu aqui de plantão) 

impossível fugir a essa dura realidade
neste momento os bares estão repletos de homens 
todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
todos os maridos estão funcionando regularmente 
todas as mulheres estão atentas
porque hoje é sábado (e eu aqui de plantão)

parte II

neste momento há um casamento 
porque hoje é meu plantão 

hoje há um divórcio e um violamento 
porque hoje é meu plantão 

hoje há um rico que se mata
porque hoje é meu plantão 

há um incesto e uma regata
porque hoje é meu plantão 

há um espetáculo de gala
porque hoje é meu plantão 

há uma mulher que apanha e cala 
porque hoje é meu plantão 

há um renovar-se de esperanças
porque hoje é meu plantão

há uma profunda discordância
porque hoje é meu plantão 

há um sedutor que tomba morto
porque hoje é meu plantão 

há um grande espírito de porco
porque hoje é meu plantão

há uma mulher que vira homem
porque hoje é meu plantão

há criancinhas que não comem
porque hoje é meu plantão 

há um piquenique de políticos
porque hoje é meu plantão 

há um grande acréscimo de sífilis
porque hoje é meu plantão

há um ariano e uma mulata 
porque hoje é meu plantão 

há uma tensão inusitada
porque hoje é meu plantão

há adolescências seminuas
porque hoje é meu plantão

há um vampiro pelas ruas
porque hoje é meu plantão

há um grande aumento no consumo
porque hoje é meu plantão

há um noivo louco de ciúme
porque hoje é meu plantão

há um garden-party na cadeia
porque hoje é meu plantão

há uma impassível lua cheia 
porque hoje é meu plantão

há damas de todas as classes
porque hoje é meu plantão 

umas difíceis, outras fáceis 
porque hoje é meu plantão 

há um beber e um dar sem conta
porque hoje é meu plantão

há uma infeliz que vai de tonta
porque hoje é meu plantão 

há um padre passando à paisana
porque hoje é meu plantão 

há um frenesi de dar banana
porque hoje é meu plantão

há a sensação angustiante
porque hoje é meu plantão

de uma mulher dentro de um homem
porque hoje é meu plantão

há uma comemoração fantástica
porque hoje é meu plantão

da primeira cirurgia plástica
porque hoje é meu plantão

e dando os trâmites por findos
porque acabou por hoje meu plantão 

não há a perspectiva de domingo
porque amanhã também é meu plantão

parte III

por todas essas razões deveríamos ter sido mesmo desobrigados a estudar quatro anos para conseguir um diploma que não vale nada. 
de fato, não havia nada que aprender na faculdade. 

e depois, de aulas inúteis e professores recalcados;
e depois, de horas perdidas e do dinheiro jogado fora;
melhor fosse que gastássemos o tempo de não aprendizado bebendo no bar.

na verdade, o diploma não era necessário.

nem tu, assessor, jornalista que não trabalha na redação, precisava do papel.

tu, que não faz plantão de fim de semana.
bem procedeste tu que escolheste ganhar dinheiro.

tantos anos lutou a classe por melhores condições de trabalho.
descansasse o leitor e simplesmente não faríamos plantões.

seríamos talvez algo melhor nas palavras imbecis de um presidente ignorante.
não viveríamos da degola de celebridades a, b e c.
não seríamos plantonistas de guerras idiotas e políticos corruptos.

não sofreríamos males da falta da cerveja do sábado nem desejaríamos o salário do próximo
não teríamos horas mal dormidas nem que reaprender a ortografia.
 
seria indizível a beleza e a harmonia dos que fossem jornalistas pelo talento - e não pelo diploma. 

a paz e o poder maior das palavras e dos editores de vocação
a pureza maior do instinto de verdadeiros focas e não de novatos em cópula com superiores.

ao revés, precisamos ser lógicos, frequentemente dogmáticos;
precisamos encarar o problema das colocações de vírgulas estéticas
ser sociais, cultivar hábitos, checar agências sem vontade e até cozinhar sem vontade.

tudo isso porque o editor cismou em que trabalhássemos no fim de semana... 

e para não ficar com as vastas mãos abanando
resolveu fazer o repórter à sua imagem e semelhança
possivelmente, isto é, muito provavelmente

porque hoje também é seu plantão

(e não é que tá quase ipsis literis com o dia da criação? vinicius era mesmo um gênio)

OCEAN'S FOURTEEN

tomás. um ano, dois meses e olhinhos azuis da cor do mar.

29.6.09

PINK BONNET BUDIES



eu ri da barriga doer

ZOMBOCALYPSE SURVIVAL KIT



hahahaha. muito bom.

THE LIST

o yes studio fez uma lista com bandas que começam por 'the' 
mas só dá pra ler clicando na imagem. the shit.

O JEANS DA LAURA PALMER


dessa o marsiglia é capaz de lembrar: não sei se no fim dos 80 ou no comecinho dos 90, tinha um comercial incrível da wrangler na tv. umas imagens lindas e o narrador dizendo "se você fosse um filme, você seria esse filme; se você fosse uma música você seria essa música; se você fosse um jeans..." - aí não lembro se falava ou se mostrava uma mulher vestindo wrangler. que era lindão, porque era reto, justo e tinha aquela etiquetinha de couro na bunda. tentei procurar no youtube agora, mas o dono da net não permite que eu use os 6 mega de conexão que pago todo mês. não à noite. tá certo ele. por isso ele é dono da net.

a imagem é de ryan mcginley pra wrangler. meio twin peaks, não?

FIGHT, FOOD, FART

boa a campanha do eno, né, não? da ogilvy indiana.

(pena que burp não seja com f.)


DOIS V




genius.
campanha 'global coalition for peace', da big ant international

SETE ANOS

the secret, de ceasurinegre

PLOC



e chiclete vira arte de novo na europa. primeiro foi ben wilson. agora, simone decker criou esculturas enormes, em vários formatos, no projeto chamado chewing in venice.

UM DESPACHO PRA LONDRES. EXCELENTE.

em janeiro, entrei com uma ação na terceira vara da minha família, a fim de conseguir um despacho para ny. a ação foi julgada improcedente. 

hoje, na folha, vejo que há jurisprudência a meu favor e entrarei com recurso direto no tj, pra que a justiça seja feita. 

"pretende a falida obter autorização para empreender viagem à londres a fim de tratar de assunto relacionado à massa falida. (...) apresenta a falida, assim, motivo justo para se ausentar do país". "(...) a falida cumpriu as determinações deste juízo quando da autorização de viagem anteriormente deferida".

assim, faço minhas as palavras do juiz que concedeu permissão a ricardo mansur - transcritas acima, entre aspas, apenas com mudança de país e de gênero para adequar o recurso às minhas especificidades - que tanto falida também sou como massa falida também tenho. e diante de tão forte jurisprudência, nem adEvogado preciso contratar

28.6.09

PORQUE HOJE (NÃO) É SÁBADO

hoje é domingo, pede cachimbo e eu acordei na sala com a tv ligada no esporte espetacular, programa de que não gosto. abri o olho e pensei: hmmm, não é que tem uns homens bonitos aí? no que agora penso: hmmm, que bom humor com conotação sexual esse meu. 
só durmo na sala quando chego mezzo alcoolizada, que quando o teor alcoólico é alto (e isso é pra renatinha), eu nem consigo ligar a televisão, vou direto pra cama. no que me pergunto: o que eu fazia de madrugada na globo?
o cachimbo é de barro, bate no jarro, e tanto homem bonito, esportista e de fala errada me fez lembrar das cartas do beto. abri o armário pra reler as tais preciosidades e dei muita, muita risada. que vida boa! tantos bilhetes lisonjeiros... o jarro é de ouro, bate no touro, e tinha carta (e cara) ali que eu nem lembrava que existia. o touro é valente, bate na gente e a única bem escrita era de um amigo do meu irmão feio pra burro. ai, simone, tanto faz se é homem ou mulher, difícil encontrar o pacote completo, , não?
a gente é fraco, cai no buraco e eu me deixava levar por gramáticas lamentáveis até bem recentemente. o buraco é fundo, acabou-se o mundo, mas só se for aquele outro, que ainda há muita coisa boa pela frente. há de ter.
e quer saber? quem sou eu pra julgar verbos errados e vírgulas trocadas quando mal escritas para me elogiar?  ainda mais se no presente me fazem dar tanta risada num fim de manhã de domingo, pede cachimbo. 

*o título deste post é uma corruptela de uma frase que se repete em o dia da criação, do vinicius de moraes. meu pai recitava em casa quando eu e meus irmãos éramos pequenos, inteirinho e de cor. 

UPDATE: a paula, leitora do blog, me disse nos comentários que a forma certa da musiquinha é 'pede cachimbo'. eu tinha escrito 'pé de cachimbo' (hehe). tks, paula, já corrigi!

26.6.09

TUDO NOVO DE NOVO

não sei se já fazia um ano, mas a sensação era mais ou menos essa. a lola saiu do jornal bem antes de mim, passou em curitiba para ver a família e foi fazer a própria em thirsk, na inglaterra. pra onde vai voltar com um wifevisa ou algo do gênero, já que veio pra cá só para acertar os papéis. fiz questão de que ela dormisse uma noite em casa pra que tivéssemos mais de um dia catching up. "como você é corny", ela não dirá, porque acha ridículo usar expressões inglesas que tenham sentido similar em português. mas às vezes faltam as palavras, seja na língua que for. e quando comíamos uma pizza e simone ligou para falar dos sábados (o que veio e os que virão), nenhuma de nós três traduziu com perfeição esses momentos de reencontro. eu quis dizer algo como 'resgatar amizades' e por falta de opção (e com a conivência de ambas) soltei um verbo com conotação tão contrária ao sentimento que queria expressar. 
foi assim que esta semana 'reatei' minha amizade com lola e mês passado com simone, amiga dos tempos da faculdade de direito, que estudei durante três anos. até nos falamos depois de 1998, mas muito pouco ou quase nada. nove anos se passaram até que ela aceitasse o convite para minha festa de aniversário em maio - em uma passagem rápida mas memorável (ok, eu estava bêbada) - e saíssemos semana passada. continuamos tão irônicas e politicamente incorretas como antes, devidamente melhoradas pelo tempo.

- vocês se conhecem faz tempo? perguntou uma amiga dela à mesa do bar.
- tanto tempo que a simone ainda gostava de homem e eu, de surfista. 

o tempo, e repito esta palavra seguidamente pela quarta vez, realmente passou dos 20 e poucos pros 30 e alguns. e a resposta deliciosa dada à amiga da simone me leva a outra amizade retomada (resgatada ou reatada, whatever, lola), nos últimos dias. depois de um encontro ocasional, achei que seria perfeito chamar a lu bigatti pra ser minha parceira num projeto (eu ia dizer job, mas não vou abusar). ela veio em casa domingo, conversamos uma hora sobre o trabalho e várias outras sobre nossas vidas. porque muita coisa aconteceu desde que nos distanciamos (o tempo, again and again). e tínhamos tanta coisa para falar que nem lembramos da vez que nos conhecemos. foi no último ano do século passado. por conta dessas coincidências loucas da vida, estávamos no mesmo momento decisivo, o de abandonar o estilo 'garotas de praia que gostam de surfistas'. tudo isso durante um carnaval no "sono", lugar perto de paraty, paradisíaco e com altas ondas. 
nem todas as mudanças precisam ser radicais para serem verdadeiras.

cada uma de nós mudou de rumo, à sua maneira. caminhou. o bom é ver que se todo mundo anda pra frente, uma hora a gente se cruza de novo. seja lá qual for o lifestyle.

(e a imagem que ilustra este post eu tirei do jornal esta semana. ia mandar por email pra lu. "imagina só há 15 anos - afe, estamos velhas! - , íamos muito querer ir a esse festival. mas é impressão minha ou os eventos de surf de antigamente não tinham essa pegada brega? que 'festivalma' é de doer, brother...")

(o itálico das palavras em inglês é uma exceção concedida em homenagem à neoinglesa lola. porque eu incorporo direto - e sem dramas - words, phrasal verbs, idioms and slangs. oh, yeah!)

NO FIM, TUDO É UMA QUESTÃO DE CONSUMO


muito prazer, eu sou fumante. e antes que me acusem de defender os meus*, digo já que sou contra o cigarro em ambientes fechados. num ambiente público, o prazer de um deve acabar onde começa do desprazer do outro. seriam esses os termos da minha sentença. mas, muito prazer, eu sou um ser humano. e tenho que admitir que defendo, sim, os meus, principalmente quando se trata de condições humanas de sobrevivência. só que o tipo de fumo que não apenas mata, mas também vicia a ponto de tirar a dignidade, a capacidade de discernimento e o que resta de humanidade em uma pessoa não gera tanta publicidade política quanto o do cigarro. se não das partes que entram com uma ação, quanto menos daquelas que fazem as leis que se dizem preocupadas com o bem estar público. e eu me refiro ao crack. a seus usuários que não frequentam restaurantes e bares, mas sim as ruas do centro de são paulo. muito prazer, eu sou brasileira, paulista, paulistana. e tenho vergonha de pertencer a um estado representado por figuras, como tantas outras pagas pelo meu imposto, cujas preocupações (leia-se destinação de verbas e repercussão) são higienistas, midiáticas, quando não estéticas e auto-centradas.
e não acredito em argumentos do tipo 'uma coisa não exime a outra'. exime sim. quando um vício rebaixa pessoas à condição de animais, as faz defecar nas ruas, não se alimentar, se prostituir, roubar. é uma questão de prioridade, não de importância. é uma questão do que fazer com o que resta do seu e do meu dinheiro depois da peneira que os políticos fazem em consumo próprio. 
porque tudo se resume ao vício de consumir. seja cigarro, pedra ou desvio do erário. 
a diferença, é que o primeiro é voluntário (repito, deve ser banido de lugares públicos fechados), o segundo é incapacitante e o terceiro, ladroagem.

(não ignoro nem entro no mérito do que é de esfera municipal, estadual ou federal. se as ações governamentais não estivessem centradas na figura de uma pessoa, de um partido ou de uma gestão, acredito que elas não tratariam problemas comuns tão dissociadamente).

*o juiz da liminar contra a lei antifumo é meu pai

22.6.09

ENTRE UM 'CHUPA, COBRA' E UM PENSADOR


"com a morte de franco montoro (1916-1999), zulaiê cobra, então suplente do tucano, assumiu uma vaga na câmara dos deputados. conhecida pelo temperamento explosivo, ela mal chegou e já comprou briga com o colega ibrahim abi-ackel. o barraco se deu durante a votação de uma matéria de direito constitucional. 

- isso é uma bobagem! - sentenciou zulaiê, contrariada pelo parecer que abi-ackel havia feito para o caso.

ele rebateu de imediato:

- bobagem não, porque bobo não sou. aliás, bobo não consegue chegar aqui. no máximo, chega como suplente." 

(a imagem é do boteco sujo)
(o texto, do 'painel', na folha de hoje)
(mas também podia ser o contrário)

21.6.09

BRAZIL ISSUE

acabo de saber que a edição de julho da juxtapoz, 100% brasil, já está nas bancas. e parece que tá muito boa.

20.6.09

CANELA


em canela eu ando descobrindo que o brasil é sim, como disse um chef em entrevista ao paladar uma vez, um continente e não país. "é muita cultura e diversidade", ele falava. eu nunca imaginei que uma simples viagem à canela, no sul, ia mexer com a minha cabecinha desse jeito. porque a gente sai por aí e percebe tantas influências de outros estados... mas aqui a coisa é diferente, tradicional demais, tão brasileira que chega a ser gringa. isso que eu nem cheguei na parte dos bonecos, o festival de teatro mais encantador da minha vida. em apenas dois dias eu já vi de tudo, conversei de tudo e provei o gostinho de uma cidade pouco menos charmosa que sua vizinha gramado (até porque aqui a fiação não é subterrânea como a grama ao lado), casei com um buquê de hortência, que é a flor da cidade, e tô em lua-de-mel. e na modalidade teatro de sombras, que é pra entrar mais no clima.
os canelenses tomam chimarrão até nos teatros, colocam queijo em tudo, lotam os restaurantes, praças e parques. têm pizza de coraçãozinho, o mesmo que na churrascaria já sai da grelha com farinha. chamam loja de carros de garagem e repórter de noticioso. o diego, do carrinho de cachorro quente, batizou sua empresa de digão. claro! aqui não há flanelinha, nem sequer estacionamento. à noite não dá para pedir nada quente na pousada, pois eles só acendem a lenheira no começo do dia e tchau. os jovens são meio emos, casam-se cedo, dizem veredito em vez de verdade e 'são chico' quando se referem à são francisco do sul. mas só os jovens. os mais velhos não tiram o capaz da boca. qualquer coisa que você diz, mesmo quando está se desculpando, eles rebatem com capaz. aqui eu provei o melhor creme de milho do mundo. e sabe o que eles jogam na sopa, além de queijo? azeitona triturada e ovos cozido. e é maravilhoso. os canelenses param o carro pra você atravessar, como se estivéssemos na europa. na panqueca também vai ovo, além de passas. quase uma empanada. quando querem dizer blusa canelada e de gola alta, falam básica de malha. e não malha básica. invertem também a hora da sobremesa, pois a coisa mais comum é ter abacaxi com canela ou doce de laranja com calda junto às refeições. eles espalham bonecos pela plateia enquanto a peça está no palco, são bairristas pacas, mas sabem, como poucos, ser gentis, atenciosos, uns queridos. bahhh, os homens olham bem no fundo do seus olhos quando falam. e são bunitos, minina... os canelenses são muito mais o grêmio que o colorado. e insistem em dizer que a cidade está crescendo e te acham uma doida ao saber que você cruzou ponta a ponta a pé. têm a coisa mais gostosa do café da manhã, que se chama nata, um tipo de requeijão dos deuses. e misturam no pão de beterraba a nata e a geleia de amora, que eu não sei como definir. são pontuais por demais e cantam as palavras com um doce e empolgado sotaque gaúcho, tchê!

EU VOU MATAR O DONO DA NET

à queima roupa. com mais de um tiro.
in cold blood.

19.6.09

BANANA SEM PIJAMA


hahahahahaha 
twitpic da lisebing

PORTEIRO DE ELITE

o interfone toca três vezes. na outra linha, zé, o porteiro, diz:

- isabela, responde só com sim ou não. está tudo bem por aí?

eu começo a rir. 

- tá tudo bem, sim, por que?

- é que nós fizemos um treinamento de procedimentos de segurança.

hahahahaha. sim, homens da net são sempre perigosos, mesmo que não te façam mal fisicamente. 

(claro que achei genial, por motivos óbvios. mas acho que funcionaria melhor se eles tivessem mandado um daqueles memorandos contando a novidade no prédio. assim eu não só atenderia o interfone no primeiro toque, como reagiria de acordo com os tais preceitos de segurança. bom, de repente eles até mandaram, mas foi pro lixo fechado, como todos os outros. e meu pai dirá: "como você é irresponsável, isabela". como todas as outras. vezes.)