11.6.09

THEO E AS LARANJAS


elas ficavam agrupadas, à altura exata de suas mãozinhas. na primeira vez, ele não sabia que era errado jogar as laranjas no chão e o rolar da fruta até pode não ter tido muita graça. mas então veio alguém com a proibição e garantiu o prazer da brincadeira. bastava entrar na cozinha e se punha na frente da fruteira. a avó, que em tudo via motivo para rir, dizia que era errado - mas da forma como as avós fazem, permitindo a diversão. na última vez - e não porque tivesse enjoado do jogo, mas porque ia embora no dia seguinte - , bem na frente da tia, as laranjas foram parar debaixo do fogão. ela primeiro agachou a seu meio metro e olhando dentro de seus pequenos grandes olhos disse para não fazer. ele até pensou em obedecer. mas então ela agachou de novo para procurar as laranjas, viu que estavam fora de alcance e teve de buscar a ajuda do rodo de puxar água. não sabia que só incrementava a brincadeira. e então viu os olhinhos desafiadores brilhando de emoção.

2 comentários:

Irina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Irina disse...

Agora eu descobri onde foram parar MINHAS BATATAS DA FRUTEIRA (OK, confesso, coloco as batatas na fruteira, mas voltando! VOU AGORA PEGAR O RODO!