26.6.09

TUDO NOVO DE NOVO

não sei se já fazia um ano, mas a sensação era mais ou menos essa. a lola saiu do jornal bem antes de mim, passou em curitiba para ver a família e foi fazer a própria em thirsk, na inglaterra. pra onde vai voltar com um wifevisa ou algo do gênero, já que veio pra cá só para acertar os papéis. fiz questão de que ela dormisse uma noite em casa pra que tivéssemos mais de um dia catching up. "como você é corny", ela não dirá, porque acha ridículo usar expressões inglesas que tenham sentido similar em português. mas às vezes faltam as palavras, seja na língua que for. e quando comíamos uma pizza e simone ligou para falar dos sábados (o que veio e os que virão), nenhuma de nós três traduziu com perfeição esses momentos de reencontro. eu quis dizer algo como 'resgatar amizades' e por falta de opção (e com a conivência de ambas) soltei um verbo com conotação tão contrária ao sentimento que queria expressar. 
foi assim que esta semana 'reatei' minha amizade com lola e mês passado com simone, amiga dos tempos da faculdade de direito, que estudei durante três anos. até nos falamos depois de 1998, mas muito pouco ou quase nada. nove anos se passaram até que ela aceitasse o convite para minha festa de aniversário em maio - em uma passagem rápida mas memorável (ok, eu estava bêbada) - e saíssemos semana passada. continuamos tão irônicas e politicamente incorretas como antes, devidamente melhoradas pelo tempo.

- vocês se conhecem faz tempo? perguntou uma amiga dela à mesa do bar.
- tanto tempo que a simone ainda gostava de homem e eu, de surfista. 

o tempo, e repito esta palavra seguidamente pela quarta vez, realmente passou dos 20 e poucos pros 30 e alguns. e a resposta deliciosa dada à amiga da simone me leva a outra amizade retomada (resgatada ou reatada, whatever, lola), nos últimos dias. depois de um encontro ocasional, achei que seria perfeito chamar a lu bigatti pra ser minha parceira num projeto (eu ia dizer job, mas não vou abusar). ela veio em casa domingo, conversamos uma hora sobre o trabalho e várias outras sobre nossas vidas. porque muita coisa aconteceu desde que nos distanciamos (o tempo, again and again). e tínhamos tanta coisa para falar que nem lembramos da vez que nos conhecemos. foi no último ano do século passado. por conta dessas coincidências loucas da vida, estávamos no mesmo momento decisivo, o de abandonar o estilo 'garotas de praia que gostam de surfistas'. tudo isso durante um carnaval no "sono", lugar perto de paraty, paradisíaco e com altas ondas. 
nem todas as mudanças precisam ser radicais para serem verdadeiras.

cada uma de nós mudou de rumo, à sua maneira. caminhou. o bom é ver que se todo mundo anda pra frente, uma hora a gente se cruza de novo. seja lá qual for o lifestyle.

(e a imagem que ilustra este post eu tirei do jornal esta semana. ia mandar por email pra lu. "imagina só há 15 anos - afe, estamos velhas! - , íamos muito querer ir a esse festival. mas é impressão minha ou os eventos de surf de antigamente não tinham essa pegada brega? que 'festivalma' é de doer, brother...")

(o itálico das palavras em inglês é uma exceção concedida em homenagem à neoinglesa lola. porque eu incorporo direto - e sem dramas - words, phrasal verbs, idioms and slangs. oh, yeah!)

Um comentário:

lola disse...

neoinglesa o *#$*
eu sou aldo rebelo na veia