31.1.10

EU ME SINTO TÃO IDIOTA, ÀS VEZES...


... mas ri dois minutos com isso, sem parar. e rindo de novo...

update: tinha um erro de gramática nessa imagem (que eu peguei por aí) que porque a dani viu e comentou, o photoshop já corrigiu! tks!

ÀS VEZES É SÓ UM BURP...

malvados

JEKYLL AND HYDE



versão do designer alberto hernández

TO EAT OR NOT TO EAT?


via the daily what

"THE ART OF BEING PURE AT HEART"



"the space between us is getting difficult to be filled because of our extraordinary freedom. the importance of togetherness has to be found again. how to practice togetherness in our days, without fixed social rules and rituals, is a fundamental question for me. what i do know for sure is that the moments of true connection with other human beings are moments of deep happiness, so i am interested to find out the right conditions in order to make those moments happen. art can help this process by giving a shape to difficult and important questions about universal themes and make us think about them." maria ikonomopoulou 

|o|


eu quero esses bracinhos nos meus livros.
obrigada.

daqui

29.1.10

AUDREY'S WOODLAND


audrey kawasaki: "paintings of women on wood with a consistent, distinctive style"

KAMA SUTRA COOKIE CUTTERS


here

EU JURO...


...que vi uma mulher passando fio dental nos dentes em plena fradique coutinho. será que ela achou que ninguém estava percebendo? igual ao povo que cutuca o nariz dentro do carro, faz bolinha com o dedo e joga a catota pela janela achando que ninguém está vendo. ou aquele homem que, enquanto conversa com você, dá aquela coçada, ajeitando o saco, como se você não notasse o movimento.

aí me lembrei daquela máxima da moda, que vou mudar de ordem para caber aqui: fio dental é como pochete, não se usa em público.

STRANGER THAN FICTION

28.1.10

WHITE POISON




"why, windsor salt... why?"

do tumblr do povo que trabalha com bruce mau.

SEM GUARDRAIL



deadline é uma palavra que me coloca de volta na curva. naquelas mais fechadas, curvas cotovelo. em noite de chuva e com pneus carecas.
retas só para dias ensolarados, de vida à passeio.
é uma questão de escolha de caminhos. os melhores são mesmo os híbridos. mas não se engane: você alterna na condução do volante, mas sempre ao contrário da sua vontade.

[é aí que os normais se diferenciam dos gênios]

[a imagem não está em dissonância com o texto. não está]

DAS DORES



terça-feira, dia de tirar os pontos, ouvi de uma pessoa a seguinte frase:

(carinha de malícia) - hmmm, os do umbigo vão doer, hein?

eu não estava pensando em dor. mas passei a pensar. muito. antes de ir ao médico, fui à farmácia e comprei uma pomada anestésica. no caminho, liguei pro consultório e fiz a secretária incomodar duas vezes o ginecologista perguntando se eu podia entorpecer minha barriga. nas duas vezes ouvi a mesma resposta: não precisa, não vai doer (mas eu queria saber se eu podia, não se precisava!). não passei. cheguei lá, tirei os pontos e... não doeu.

maquinei por toda a tarde uma resposta à pessoa que tinha me amedrontado. no dia seguinte, mandei de leve, brincando, mas mandei:

- ahá, sua medrosa, só dói em você. em mim não doeu nada!

- mas é que eu tinha 17 pontos de cesárea, né?

me senti culpada. não por causa da quantidade de pontos, mas pela diferença social que me permite ir a um médico particular incrível e ter pontos delicados que não doem e nem deixam marcas ("eu criei esses pontos especialmente para testa de criança, não se preocupe", disse o médico diante do meu medo), entre tudo o mais que separa minha cirurgia da dela.

então, de duas, uma - mas eu fico com ambas:

terapia, para quando a ação maliciosa do outro te atinge, é metabolizada, vira uma reação e se transforma em culpa.

espiritualidade, para quando a ação maliciosa do outro te atinge, é metabolizada, você lamenta, perdoa e esquece.

[milagre, quando a ação maliciosa do outro não te atinge]

[não é a mesma pessoa deste post, que também operou e me irritou outro dia]

27.1.10

O CASEIRO 'EMOÇIONADO'



cassola foi pra trancoso e trouxe, além de fotos lindas, esta preciosidade. ou seria pressiozidade?

ELA TAMBÉM



eu não encontrei a fonte desta imagem, mas gostaria muito de saber quem é o/a artista. se alguém souber, grita?

update: manuca contou que é da luiza pannunzio, dona da loja balls.

COUPLES




NOT!



link

SE EXISTISSE UMA VERDADE ABSOLUTA...



...seria essa frase.

ffffound

MARIAH PESO PESADO


ela é a prova de que em certo ponto da vida não dá para ficar bebendo muito sem ter consequências. olha como ela tá inchada. e, além do ganho de peso, a gente sabe que a ressaca é beeeeem pior com o passar dos anos. por isso, não adianta inventar coisas do tipo:

- não bebo mais cerveja pois dá barriga. agora, só destilado.

- não como quando bebo. para não engordar e ficar bêbada mais rápido.

- caipirinha só com adoçante. assim, dá para tomar três numa noite.

- agora só champanhe, mas bebo muita água, para não reter líquido no dia seguinte.

os últimos bafos da fofa via papelpop

EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO DE PORCO - II



ainda sobre as compras de ontem.
eu sou viciada em calcinhas. não é (só) uma questão de fetiche. por mais que eu olhe aquele monte dentro da gaveta que já nem fecha, sempre acho que vai faltar - e não me pergunte por que. pra ir pra londres, então, fiz uma compra fenomenal. que se mostrou insuficiente quando voltei e já comprei mais várias. como tenho andado muito com minha mãe nesses entre-viagens, ela notou o vício. ontem, no carro, na volta do shopping, ela teve um insight.

- nossa, acabou de me ocorrer. seu pai é igual. sempre que a gente vai ao shopping ele quer comprar uma cueca. mesmo tendo várias novas guardadas.

mais tarde, ela me conta que, assim que chegou em casa, dizendo pra ele onde estava, ouviu:

- e aí, me comprou uma cueca?

[ai, que medo, será que ele também tem fetiche? no lo quiero saber, por diós!]

EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO DE PORCO - I

um dia minha mãe descobriu o quanto é divertido dizer, em lojas, que o marido dela vai ficar puto com o tamanho da compra que ela fez ou que ela não vai comprar porque ele vai ficar bravo ou ainda que tem que consultar o marido pra fazer determinado negócio.
divertido porque é mentira, ela não só nunca teve esse tipo de relação com ele, como é completamente autosuficiente financeiramente (ai dele se falasse alguma coisa).

então ontem, nós duas no shopping comprando sutiãs, ela me solta uma dessas pra mulher do caixa. dois minutos depois, vejo um pijama de homem feito de fibra de sei lá o que orgânica. e como sei que a independência dela em limite...

eu: mãe, compra pro seu marido.

ela, pra vendedora: olha como ela fala! o meu marido é pai dela.

eu, pra ela: ah, mãe, não precisa disfarçar. e pra vendedora: ela casou de novo e morre de vergonha disso, imagina que bobabem!

o circo estava feito. a vendedora começou a dizer que ela não precisava ter vergonha, que ela mesma era separada e que adoraria casar de novo. e quanto mais minha mãe tentava desmentir, mais parecia desculpa. eu, rindo, ia deixando a história mais mirabolante. até que minha mãe resolveu sacar da bolsa documentos e fotos pra provar... inventei uma nova compra, desloquei a vendedora do local do crime e saí com uma calcinha nova da loja.

independente, né? sei, sei...

25.1.10

ANTES TARDE DO QUE NUNCA...

dá-lhe mafalda!

FELICE DI STARE LASSU

a ju foi hoje pra itália. como ela foi extremamente generosa comigo ontem (e paciente e fofa e amiga), listei algumas palavras dos meus parcos anos de estudante do dante alighieri pra tentar retribuir un po'. se ela precisasse do hino, eu saberia de cor. mas fora alguns falsos e inesquecíveis cognatos (do sentido em português, não em italiano, que só tenho irmão homem), não sobrou muito. então, dei uma busca no google e achei algumas preciosidades. tudo inútil, na verdade (perdonare!).
pra ler ouvindo a chatíssima volare. que tem o pinto na letra que tanto me fazia rir quando era una bambina...

- buongiorno, principessa: o filme já faz tempo, mas ensinou muita gente a falar bom dia em italiano. o complemento, que você não vai dizer, muito provavelmente vai ouvir.

- ancora: não é agora. é ainda
- allora: também não é agora. é então
- adesso: é agora (!)

- grazie: só lembrar do nome do bar

- dio: idem. mas com outro uso. dio mio, por exemplo, quando provar uma pizza e ainda achar a da esquina da sua casa (de sp, não de londres, óbvio) melhor

- burro: manteiga

- stupido: aí sim, burro. mas você é educada e não vai falar isso pra ninguém. se sair sem querer, melhor xingar a pessoa de manteiga.

- salire: subir. o pior é conjugado. io salgo le scalle... como você não cozinha, meno male.

- palestra: você tá crente que vai assistir a alguém importante falar e dá de cara com uma sala de ginástica. se não confundir mais ainda, associe ao palestra itália.

- bisogno: lembra bizzaro. mas é o verbo bisognare conjugado. e que significa precisar, necessitar.

- mettere: quer o rafa queira, quer não, você vai mettere todos os dias. mettere un vestito é vestir-se. e pode ser uma calça e uma blusa bem comportadas (mente suja).

- sentire: ouvir

- guardare: olhar

- pedone: hahahaha (eu sou uma criança...) é pedestre!

- gonna: saia (are you gonna buy a gonna?) ui, que infame! ui, não resisti!

- di solito (essa pra não salamancar!): geralmente

(repare que estamos falando de falsos cognatos. mas cognato, em italiano, é cunhado, so...)

- la commessa: a vendedora (das roupas que você não vai resistir a comprar)

- birra: cerveja (ahá!)

- tutti quanti: todo mundo (não confundir com tutti frutti)

- chiacchierare: bater papo (and cut the 'i'm not much of a talker' out)

agora um palavrãozinho básico. na verdade, uma outra referência cinematográfica, esta de fato boa. quem não se lembra do totó gritando do alto do seu meio metro: "alfredo, và fancullo! precisa de tradução?

FLORES DO MEU JARDIM

meu período de recuperação da cirurgia já está chegando ao fim. continuo sem ter do que reclamar. de falta de dor a telefonemas fofos, emails incríveis e visitas deliciosas, teve até flores - o japa, além de vários dvds, trouxe esse vasinho lindo de cravos numa fuga do trabalho sexta-feira. ontem, o cassola veio ver filminho comigo, pra me fazer companhia. fiz até um bolo de chocolate pra gente. só não deu tempo de tirar foto. grande parte foi parar no meu barrigão decorado com pontinhos. e esses sim eu fotografei: parecem três mini borboletas. que, junto com os pontos do umbigo, vão sair voando amanhã à tarde.

cause the poetry of everyday life nem sempre é uma frase sarcástica.

uptade: mandei a foto das flores pro japa, por email, e não tem como não colocar o comentário dele aqui. "que jeito mais doce e talentoso de me agradecer as flores!!! por isso você é minha paixão..."
owww, que me muero de amores por esse amigos lindos!