26.9.10

DO SILÊNCIO, DAS CANTIGAS DE AMOR E DAS CANTIGAS DE AMIGO



"porque ando muda e isso me mata. porque procuro pensar - em qualquer coisa - e, sem demora, me canso. porque tenho soado - no casulo dos cadernos privados - clichê e burra. porque, na maioria das horas, não acredito em mim. porque ando sem tempo ou gastando-o muito mal. porque ando feliz e perdi o samba. (...)."

porque nem justificar - e decentemente - meu silêncio eu consigo, empresto a justificativa da . porque ela é, desde que vim pra londres - e muitas vezes - minha alma gêmea das palavras trocadas. porque a gente ainda não se conhece pessoalmente - e isso é o de menos: quantas pessoas conheci ao longo da vida e tenho conhecido aqui, desde o ano passado, que não fazem ressoar uma letra sequer no meu coração. e, isso, sem amargura, a vida é assim. mas é bom perceber que o íntimo pode não ter cara, cheiro, toque.

...

o título do post dela é 'contra o meu silêncio'. e, por ser leitora, eu teria colocado 'a favor'. mas projetando o meu (silêncio), o que o meu me faz sentir, entendo. e sinto 'contra'. e sinto raiva. de também estar muda e de também soar clichê na tentativa. e iditota quando posto uma bobagem ou outra sem sentir, só para entrar, só para estar aqui. mas, isso, sem amargura, a vida é assim.

...

às vezes, também, a gente se engana com as palavras escritas alheias. já li, me encantei e me decepcionei. mais de uma vez. e tive a certeza de que era pastiche. e tive a dúvida da dupla personalidade. e pensei naquela vez em que mostrei um texto aleatório para uma professora de português, na oitava série: "nossa, isabela, você é tão madura escrevendo, tão diferente de como é na classe". para mim, aos 14 anos, foram dois elogios: o texto era bom e eu não era uma nerd. não ia deixar de sentar no fundo e tocar o puteiro. não na oitava série. e mesmo sem a consciência atual de que, inevitavelmente, envelhecemos, eu devia sentir que tudo tinha hora e lugar. até admito que perdi o timing anos depois. antes disso, não me arrependo.

mas isto não é sobre meu eu adolescente. é sobre meu eu adulto criticando pessoas infantis que (aparentemente) escrevem textos maduros. 'que catso tenho eu que criticar os outros?" é o que me vem à cabeça ressoando o que tenho me proposto a ser e viver (eu diria "minha filosofia de vida", se não fosse tão brega). e aí me sinto culpada. e isso, não. porque é natural que pessoas que não tenham muito a ver com você surjam na sua vida. só não é natural que a relação se desenvolva a ponto de haver intimidade. já que, sejamos sinceros, é o amor que suporta a intimidade.

é sempre o amor.

o que me leva a uma outra professora de português, essa do colegial. e suas excelentes aulas de literatura. e de como dizia que as escolas literárias funcionavam como um pêndulo em relação aos valores de que discordavam e que estabeleciam. me leva também às cantigas de amor. às cantigas de amigo.

24.9.10

SHAME ON ME

faz dez dias e quatro horas que eu me propus fazer academia. nesse meio tempo, olhei no site, achei uma promoção. olhei de novo, dias depois, pra ver se ainda estava lá. voltando do trabalho, quarta, fui até lá, atrás de mais informações. então, como ontem estava off, me prometi fazer a matrícula. hoje, idem. a única coisa que faço é, deitada na cama, navegar em sites. e aí encontro ernestine.



ela tem 72 anos
só começou a fazer exercício aos 56
acorda todo dia às 3 da manhã pra correr e fazer musculação
corre 80 milhas por semana (5km em 28 minutos)
levanta 150 pounds, cerca de 30 pounds a mais que seu peso corporal
não toma nenhum suplemento porque não sabe o que eles poderiam fazer ao seu "velho corpo"

aqui tem um vídeo curtinho dela. mas não assiste, não.

[o que mais me anima de ir até a academia é poder tomar um soya cappuccino no caminho]

SIX TRUTHS OF LIFE


né?

23.9.10

OH!


via paranoidloves

E A CARINHA DE "QUE?"?


do blog da fine little day - aquela das estampas criadas com desenhos de um menininho

MIREM-SE NO EXEMPLO DAQUELAS REGRAS DE ESPARTA



10 spartan rules

in 1951 president yoshida wrote 10 principles to guide behaviour at dentsu in japan:

1. create work for yourself; don't wait for work to be assigned to you.

2. take an active role in all your endeavours, not a passive one.

3. see out large and complex jobs. trivial tasks debase you.

4. welcome difficult assignments. choose them. progress lies in accomplishing difficult work.

5. once you begin a task, complete it. never give up.

6. lead your fellow workers. be an example for them to follow.

7. set goals for yourself to ensure a constant sense of purpose. this will give you perseverance and hope for the future.

8. move with confidence. confidence gives your work force, focus and substance.

9. find new solutions. this is the way we ensure satisfactory service.

10. when conflict is necessary don't shy away from it or be afraid. conflict is the mother of progress and the source of aggressive enterprise. if you fear conflict, you will become timid and servile.

considerando-se que eu já tenho o projeto (de social media) e o cliente, algumas regras como a 1, a 2, a 3  e a 4 estão parcialmente cobertas. a 5 é a regra fail, até hoje. escrevo isto, aqui, para seguir (e publicamente) a regra 7. então, num futuro próximo, devo (no sentido de obrigação) postar aqui o resultado da apresentação do projeto. que sera sera

[agora senta a bunda e faz]

via dentsu london

21.9.10

PIXOTOSCO PRESIDENTE



e tem pra governador, deputado e o cacete!
via: fsciarra

pixotosco presidente, upload feito originalmente por tony de marco.

ARTE POLÍTICA

a gente já quis sair pelas ruas colando vinil adesivo nos postes, mas não fizemos. pensamos em aprender a bordar pra encher de crochê os bueiros, mas não fizemos. falamos por várias vezes de aproveitar retalhos de materiais e melhorar as ruas com arte. epa! fizemos parecido: fomos ao parque de máscaras incríveis (era natal, várias luzinhas nas árvores. fotografamos à beça!). e de novo, no último jantar que tivemos, pensamos em sair pelas ruas sujando a cara de quem suja mais que a nossa cidade. não deu tempo, mas alguém fez. taí, no tumblr sujosuacara, a melhor contribuição-intervenção-coletiva artística que eu vi nesta campanha.




e pra entender melhor a ideia: "a partir de agora, todo candidato com cavalete na rua também será candidato a ganhar bigode, guampinha, monocelha, cicatriz e sorriso banguela. vamos ser justos: se você pode sujar minha cidade, eu posso sujar sua cara".

JE M'APPELLE THAIS, JE SUIS JOURNALISTE



minha primeira aula foi hoje. cheguei atrasada, esqueci de levar os óculos, não pude copiar nada no caderninho. vergonhoso não enxergar a lousa e ainda parecer uma idiota trocando as palavras, juntando tudo com inglês e portunhol na hora do desespero. mas tou achando o máximo saber que o som de biquinho vem da boca e não da garganta. e como toda empolgação de primeira, passo o dia de hoje (quer dizer, aujourd' hui mon amour) buscando coisas em francês. não conhecia esse clipe da tiê e achei didaticamente bonitinho. :P

20.9.10

FINESSE



"aleister in london found this critique slipped under his door after an impromptu thursday night sing-along. "i am a big fan of my neighbours' critical opinion", aleisteir says. "i won't offer much defense other than our music selection was exceptional and i was on my way to work when i found it".
well done flat 3. dry wit, a soft touch, and lovely handwriting? this is one note that definitely deserves a place of honor on the fridge."

via passive aggressive notes

19.9.10

DENOMINADOR COMUM



"millions of books written on every conceivable subject by all these great minds and in the end, none of them knows anything more about the big questions of life than i do... i read socrates. this guy knocked off little greek boys. what the hell's he got to teach me? and nietzsche, with his teory of eternal recurrence. he said that the life we lived we're gonna live over again the exact same way for eternity. great. that means i'll have to sit through the ice capades again. it's no worth it. and freud, another great pessimist. i was in analysis for years and nothing happened. my poor analyst got so frustrated, the guy finally put in a salad bar. maybe the poets are right. maybe love is the only answer."
(hanna and her sisters)

{paulo leminski}

[e o amor?]

17.9.10

A GÊNIA DO CRIME


tavi is so last year, pensei, quando alguém comentou da blogueira que, apesar de adolescente, entende de moda (e se veste) como adulto. a internet tanto lança quanto cansa, afinal. e se já faz mesmo um ano que a thais postou aqui sobre ela...
há cerca de um mês tavi fez seu primeiro editorial como stylist pra uma revista, saiu em tudo quanto é blog especializado e chegou à minha caixa de entrada no email da blackbook. na mesma época, mais tavi em lugares variados: da revista do evening standard ao blog de moda do estadão. mas hoje, quando o luiz horta postou um link no facebook, fiquei curiosa. porque o talento fashion da pirralha é incontestável. só que a fiadamãe escreve BEM. e sobre outros assuntos. e aos 14 anos.

capitulemos.

[será que mega laço na cabeça tem alguma coisa a ver com isso?]

14.9.10

ENTRE LAÇOU, ENTRE-LAÇARIA, ENTRELAÇAREMOS


ficou besta? diria meu outro eu - e não disse,  porque não estava de bom humor. que não ganhou hífen porque o que me parece mais difícil é esse troço que junta - sejam duas palavras ou duas pessoas. mas também tenho miolo mole, confia em mim não. e aí que se não junta a gente vai vivendo como pode. encostando vez ou outra pra ver se gruda na sorte ou batendo de frente depois de um tropeção. o dedão dói mas o resto do corpo bem que gosta. do misto. do quente. que tem hífen, não perdeu.

e já parou para pensar que pode perder só pra mais juntar? que a minissaia mais comprida não precisa ser só uma questão de estética. nem estar agora necessariamente mais comportada. eu queria era poder usar todas as letras s do meu tabuleiro para poder me juntar quando quero. e ficar mais comprida e não mais necessariamente comportada. e que não fosse apenas estética. mas, antes disso, quero aprender a usar os tempos certos dos verbos.

e conjugar tudo no futuromaisqueperfeito.

"NINGUÉM ME AMA, NINGUÉM ME QUER, NINGUÉM ME CHAMA DE BAUDELAIRE..."


embriague-se
é preciso estar sempre embriagado. isso é tudo: é a única questão. para não sentir o horrível fardo do tempo que quebra seus ombros e o curva para o chão, é preciso embriagar-se sem perdão.

mas de quê? de vinho, de poesia ou de virtude, como quiser. mas embriague-se.

e se, às vezes, nos degraus de um palácio, na grama verde de um fosso, na solidão triste do seu quarto, você acorda, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, pergunte ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunte que horas são e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio lhe responderão: "é hora de embriagar-se! para não ser o escravo do mártir do tempo, embriague-se; embriague-se sem parar! de vinho, de poesia ou de virtude, como quiser".
(baudelaire, trad. jorge pontual)

enivrez-vous
il faut être toujours ivre. tout est là: c'est l'unique question. pour ne pas sentir l'horrible fardeu du temps qui brise vos épaules et vous penche vers la terre, il faut vous enivrer sans trêve.

mais de quoi? de vin, de poésie ou de vertu, à votre guise. mais enivrez-vous.

et si quelquefois, sur les marches d'un palais, sur l'herbe verte d'un fossé, dans la solitude morne de votre chambre, vous vous réveillez, l'ivresse déjà diminuée ou disparue, demandez au vent, à la vague, à l'étoile, à l'oiseu, à l'horloge, à tout ce qui fuit, à tout ce qui gémit, à tout ce qui roule, à tout ce qui chante, à tout ce qui parle, demandez quelle heure il est et le vent, la vague, l'étoile, l'oiseau, l'horloge, vous répondront: "il est l'heure de s'enivrer! pour n'êtrepas le esclavres martyrisés du temps, enivrez-vous; enivrez-vous sans cesse! de vin, de poésie ou de vertu, à votre guise".
( baudelaire)

...

ontem, a rita falou duas vezes com meu coração por email. na primeira, mandou o poema lindo acima. na segunda, me consolou da forma mais verdadeira que existe - se abrindo.

merci. je vou adresse me plus vifs remerciements, loiolá!

[e o título fanfarrão deste post foi dela também]

12.9.10

A CADA QUAL*



para o blog, minha cabeça esvaziou. é o que parece.

derrubei dois mitos femininos. vi de perto. me decepcionei.

tenho colocado a calcinha do avesso. não sei o que acontece.

adoro moda, mas uso sempre a mesma roupa. adoro mais ainda o conforto.

comprar na louis vuitton ou na primark me deixam cansada e feliz na mesma medida.

daqui em diante, vou ficar menos tempo no computador. e voltar a ler.

voltei a ter pensamentos negativos em relação a mim mesma. isso é uma merda.

novembro seria o mês perfeito para ir para são paulo e salvador. mas não tenho mais coragem de escolher o prazer em detrimento da responsabilidade.

passei a apostar na eficácia de creme anti age. foi falta de opção. minha dermatologista continua na lista das pessoas de quem mais sinto falta.

eu não acredito menos no amor por ser excessivamente ansiosa. mas é desconfortável.

[*a cada qual, como a 'statura, é dada a justiça: uns faz altos o fado, outros felizes. nada é prêmio: sucede o que acontece. nada, lídia, devemos ao fado, senão tê-lo". fernando pessoa (ricardo reis)]

10.9.10

"...LITTLE FURRY SUPERMEN"

HUMAN TOTEM - II



nicole tran ba vang

HUMAN TOTEM




ask-art

ANIMAL TOTEM


faz dias que eu não escrevo uma linha, apesar de criar posts na minha cabeça. aqui, nada. ou porque estou cansada demais ou porque parece que desaprendi a escrever o que sinto. vai ver, não sinto mais.

então, hoje à tarde, aconteceu mais uma vez de escrever mentalmente um post e decidi postar de verdade agora à noite. estava há quase uma hora parindo a fórceps o imaginário quando ouço algo que parece um choro. levanto, vou mais perto, parece risada. bato na porta da vanessa e é ela se digladiando com uma aranha. de médio porte, o que já é suficiente para gritar. eu, mataria. mas a vanessa é eco-nature-zen-hippie-hipster-drugs-organic-yoga. então ela (gritando) prendeu a aranha entre um livro e um copo e soltou na varanda. mais: veio com aquela história de animal totem, de que se um bicho cruza seu caminho ele está querendo te falar alguma coisa, é um sinal, tem um significado (tem de olhar num site). não é a primeira vez que ela fala disso. mas da outra vez foi só uma joaninha.

e no post que eu acabei não terminando, olha só a coincidência, eu usava animais como metáforas para pessoas. significado: não era mesmo pra escrever a porra do post.

[a vanessa é tão doida que ela se referia à aranha como "he"]

3.9.10

TARRACANENÊ

"tarra ca nenê no colo..." e nunca mais parei de rir.
a melhor indicação da semana! por renata reps, no post de fim de semana do moda e bem aqui na minha frente alegrando a sexta-feira de quem não vai ter feriado...

direto aqui e também no @tarracanene