21.12.10

LIGAÇÕES


preciso de algumas coisas que me levam além. pode ser um trabalho especial em noronha ou uma manhã quente de compras na zé paulino. observando, me desloco dentro de mim, chego a um lugar que só alcanço assim: observando pra depois refletir e, muitas vezes, escrever.
e não sei se é bem o fim do ano, o 2010 cansativamente dedicado a resolucões, o tempo, só o tempo, mas estou cada vez mais observadora e incerta do que quero. por outro lado, sei muito bem o que não quero. talvez será assim, uma vida de saber o que não se quer. não acho ruim, é só acostumar com a ideia.

pra 2011, não quero:

vaso sem flor
arroz branco
me doar mais do que posso
decupar entrevistas desnecessárias
dizer tantos "não" pra baleia
gastar tempo com pessoas que nunca vão melhorar
falar mal dos outros
sair da cama sem o beto
segurar risada no elevador
matar uma garrafa de uísque nos casamentos
acreditar que tou sem dinheiro pra viajar
ter sono na mesa do bar
me sentir mal porque mudei de ideia
ligar para o que não interessa
esquecer do que eu não quero
(e mais tanta coisa que, só se eu quiser, edito o post depois.)

foto: inhotim. pra onde eu não quero ficar sem voltar

3 comentários:

Rita Loiola disse...

ah, que bonito... cada vez mais eu acho que maturidade tem a ver com perder as certezas. exceto sobre o uiscão de casamento, acho...

isabela disse...

inspirador!

thais disse...

também acho, rita! com o tempo a gente vê que tudo bem mudar de ideia. agora, me expressei mal: quero, sim, matar duas garrafas em todos os casamentos. o que eu NÃO QUERO é uma ressaca do inferno, como foi há duas semanas, ahahahaha.
isa, você é que me inspira (com os textos, com ter vontade de voltar aqui vez ou outra, com as ligações - minha ou sua, mesmo que seja por cinco minutos). :P