28.1.11

"...E NO MUNDO, EM CONCLUSÃO, TODOS SONHAM O QUE SÃO, NO ENTANTO, NINGUÉM ENTENDE"



como pode alguém ter duas encarnações dentro de uma mesma vida? duas histórias que não correm paralelas mas se cruzam e alternam e tem temperaturas tão diferentes quanto opostas?
como pode ser yin e yang e doce e amargo e choro e vela? como pode ser incapaz de falar uma língua e, no instante seguinte, nem lembrar da dificuldade? e fazer velhos amigos do dia pra noite e se sentir em casa quando não tem mais nenhuma e dormir bem onde quer que tenham pessoas do bem? e cruzar com tantas outras do mal e decidir que pensar nisso é perda de tempo e, ainda assim, deixar escapar propositalmente uma referência? como pode se saber tão perdida e se sentir tão achada? e vice e versa e mais uma vez de novo? como pode se ver em espiral e escrever sem criar novos parágrafos?

como posso estar aqui como se não existisse lá se, quando estou lá, sou feliz?
estaria eu então aqui infeliz, o que não é o caso.
definitivamente.

"que é a vida? um frenesi
que é a vida? uma ilusão,
uma sombra, uma ficção;
o maior bem é tristonho
porque toda vida é sonho
e os sonhos, sonhos são."

trecho do monólogo final de "a vida é sonho", de calderón de la barca. que, desde o colegial, acalma o tormento de perguntas que vira e mexe me faço.

imagens

[eu amo ter aqui e lá. mas estou realmente admirada com a minha capacidade de ligar e desligar botões. tomorrow is our permanent adress]

25.1.11

TÔ CHEGANDO!


e não é que abro a página de postagens do blog e encontro um quase-post da manuca com o título de "CHEGA LOGO!"?

é hoje (que vou)
é amanhã (que chego)

pra maratona sp, rio, salvador em pouco mais de um mês eeeeee

[miau, amei!]

21.1.11

DOS MORTOS-VIVOS



primeiro, achei esta galeria de parques de diversão abandonados. logo depois, em outro site, fotos atuais de chernobyl, incluindo as de cima.

aí, pensei nas tragédias pessoais e nas pessoas que abandonam a si mesmas e parecem zumbis dentro do próprio corpo. vagando em parques inanimados, como em spirited away. mas não consigo ver nem um pouquinho de chihiro nos olhos dessas pessoas, mortos; semimortas - como isso é triste, não vejo esperança.

mais triste ainda é que elas emanam energia radioativa. é preciso manter     muita     distância.

[some people should be quarantined, neutralised, interrupted]

SERÁ?




the mt.augustine volcano is in southcentral alaska and, apparently, spits an ash cloud that looks too surreal for words. these images are gorgeous but don't even look real. 


[próxima parada: southcentral alaska]

20.1.11

O LIVRINHO DE AUTOAJUDA PARA PROCRASTINADORES






her ideaa picture book by rillais for both children and adults – but especially for anyone who has said "i think i'll start tomorrow". ultimately it's a tale about getting to THE END.


sozi loves ideas. the only trouble is, she can't seem to ever finish them.


in addition to the book, sozi prints and dolls are available at sozi.com

read the story behind the story and see more pictures here.

POESINHAS



gritepoesias

18.1.11

SONHOS


pra você e pra mim, um 2011 de sonhos que vão se realizar. acordo repetindo isso todos os dias. é quase fevereiro e eu continuo sonhando. sonho todas as noites. às vezes puxo o laptop pra cama no meio dele. ou escrevo no bloco de bolinhas coloridas que comprei na gama, minha papelaria favorita. não são poucos os meus sonhos. por isso, é preciso listá-los. mas isso também pode ser só mais uma desculpa pra quem adora sonhar e fazer listas. deixa ficar. assim, enroladinhos e catalogados em papéis coloridos e amarrados pra não escaparem.

foto

CADÊ MINHA MEMÓRIA? VOCÊ VIU?


me dá um desespero. esqueço do que vi, as palavras se confundem, chego a trocar destacável por descartável, dilatando por latejando, e por aí vai. talvez minha cabeça esteja cheia há anos. talvez eu veja tudo muito rápido, durma mal e meu cérebro não consiga organizar as pastas dentro dele. fiz um tumblr pra colecionar palavras e imagens. aceitei ontem o convite do incrível pinterest pra encher minha gaveta digital de coisas lindas. verdade é que mais da metade do que sei não tá na minha memória de verdade. e isso me deprime. de agora em diante, minha câmera não sai mais da bolsa. é! sou então uma pessoa de memória fotográfica.

foto (pra não esquecer).

16.1.11

POEMA PRA FECHAR UM PENSAMENTO



hoje, eu e a laysan falávamos de poesia. e falamos de cummings. e lembrei que na casa onde moro tem 2 volumes com a obra completa. abri o segundo, numa página aleatória, e encontrei a poesia acima. fiquei chocada. tem tudo e mais um pouco a ver com o post abaixo. primeiro, let it go.

so comes love.

a laysan me disse uma coisa que achei linda. ela disse que quando está triste ou angustiada, recita poemas mentalmente - como uma oração ou um mantra, até que fique calma.

...

o poema da imagem é o de número XXIX da coletânea publicada originalmente com o título de 1x1 (one times one), em 1944.

LIDO ALI, LIDO ACOLÁ - II (PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE SARTRE)


ontem à noite, vi que tinha post novo no blog da luci. e se você segue o blog dela imagina a empolgação com que fui lá ler. é sempre muito, muito engraçado. desta vez, especialmente, tinha um algo a mais.

"(...) quando voltei a lyon, saí evitando, bloqueando, deletando e dando unfollow em tudo e todos que não me traziam nada de positivo e... que ideia brilhante! então, minhas resoluções pra 2011 não têm nada a ver com trocar de emprego ou emagrecer (apesar de...). vou investir em gente boa e dar um conselho: façam o mesmo."


ela não é a primeira pessoa de quem ouço (ou leio) isso. nem a segunda. e todas moram ou moraram do lado de cá do mar. vai ver, esqueceram aberta a porta de algum hospício e a loucarada saiu com tudo, se misturando à multidão. o diagnóstico, geralmente o mesmo: pessoas que não conseguem lidar com suas próprias angústias e, frustradas, descontam nos outros e fervem coelhos. 


mas, sim, há muita gente boa. muita. 
por isso, é também minha resolução, a de APENAS investir em gente boa. mas não só de 2011. 
resolução de vida. 


[l'enfer, c'est les autres. l'enfer, c'est moi-même]


imagem

LIDO ALI, LIDO ACOLÁ - I (PARTICIPAÇÃO ESSENCIAL DE MANOEL BANDEIRA)



"vamos viver no nordeste, anarina.
deixarei aqui meus amigos, meus livros, minhas riquezas, minha vergonha.
deixarás aqui tua filha, tua avó, teu marido, teu amante.


aqui faz calor.
no nordeste também faz calor.
mas lá tem brisa:
vamos viver de brisa, anarina".
 

brisa - manoel bandeira (lido no fb da paloma lopes)


[em homenagem à família wulf mena. que foi morar em salvador. mas mora também no meu coração]


imagem

14.1.11

WHAT A FINE DAY










EMBRACING THE DESIRE FOR A STORYTELLING?


quando se tem uma lista de livros a engrossar (aqui, o da imagem), podem ser variados os pensamentos, mas todos têm o mesmo fim.

a hammock
a shadow on the beach
living on my own

[please, god?]

AINDA NÃO É O FIM. OU É?



neither the beggining which is odd

and either it has to start in brazil or straight after that

[i just don't get it]

a imagem: arm in arm - a collection of connections, endless tales, reiterations and other echolalia by remy charlip. parent's magazine press, 1969

JÁ QUE É SEMANA DE MODA NO RIO...

aldo gucci, nos anos 70, abrindo uma nova loja em bond street, londres

pra este ano, projeto de ridley scott sobre a história (família e negócios) da gucci, que faz 90 anos


via dusinfernus

NOLITE TE BASTARDES CARBORUNDORUM



don't let the bastards grind you down

[só o latim salva]

12.1.11

CLAREIRAS



tem gente que não sabe e abraça duro. tem gente que não gosta tanto. tem gente que não é gostada.
tem gente quente, gente fria, aquecedor à gás e cobertor de lã.
tem suor no inverno e tremedeira no verão.
tem ossos gelados, ossos de vidro e anel de osso. achei um outro dia e não tiro do dedo. achado não é roubado.
tem gente ladrão, mas o certo é gente ladra e roubar nunca é certo, nem quando é furto. pra diferenciar: gênero, número, grau, com ou sem ameaça física.

tem tudo isso em londres, pra minha surpresa.
pra minha decepção.

mas tem também a tamzin, que me disse:

"do your best, always, no matter what you're doing, 100% of you.
and be calm"

pra minha sorte, tem a tamzin.
onde quer que eu vá eu tenho um guru.

[ela é também minha acupunturista e quem está me ensinando eft]

DA MINHA PROFISSÃO PARALELA



fazia tempo que eu não via uma ideia nova numa reforma de móvel antigo. abaixo, o texto do design sponge, onde achei - parece que eles também sentiram a mesma coisa.

"joanne’s upcycled furniture projects already made a splash on design milk last week, but this particular transformation of an old beat-up dresser is too amazing to resist posting. joanne and her business partner anthony run think contemporary, an interior design firm in dublin. they’ve started to refurbish old furniture pieces using paint and vinyl. vinyl decals have been increasingly popular the past few seasons, but most of the designs revolve around silhouettes and solid monochromatic shapes. i think joanne’s use of vinyl to create a multicolor landscape over the front of these drawers gives the medium new energy, and if I lived in dublin i would be all over this piece. i would literally grab it and hold it close, i like it so much. you can contact them about their furniture and see more work here. thanks for sharing, joanne!"

8.1.11

'O 100 ml DE BOM HUMOR'




anteontem, nos comentários:

"oi gente!
tudo bem?
fizemos um post para o site bom de humor, da natura, destacando alguns blogs coletivos legais. citamos vocês! caso queiram dar uma conferida, segue abaixo o link. parabéns pelo trabalho!

http://www.bomdehumor.com.br/materia/2959-Blog_escrito_a_varias_maos.htm

abraços,

duda fonseca

equipe bom de humor – natura

twitter bom de humor - http://twitter.com/bomdehumor/
facebook bom de humor: http://on.fb.me/bH4nZr "

legal, né?
thx, duda!

[o título tá entre aspetas porque foi o subject do email que a tha me mandou]

EU QUERIA...



eu queria, ao subir a escada rolante de kentish town (tube station), poder me deixar derrubar pelo vento forte que sempre me balança. e cair pra trás, como que obedecendo a gravidade, e por puro deleite.

1. eu causaria um engavetamento de pessoas escada abaixo
2. eu rolaria quicando de ponta cabeça até o último degrau
3. eu flanaria upside down sem nunca, nunca mais aterrissar

[eu procuraria como se escreve aterrissar no dicionário]


ffffound

PRA MIM, ISSO É UM POEMA DE AMOR




"dance like no one's watching...because, they're probably not. and, if they are, assume it is with best of human intentions. the way bodies move genuinely to beats is, after all, gorgeous and affecting. dance until you're sweating, and beads of perspiration remind you of life's best things, down your back like a brook of blessings."

"society is afraid of alonedom, like lonely hearts are wasting away in basements, like people must have problems if, after a while, nobody is dating them. but lonely is a freedom that breaths easy and weightless and lonely is healing if you make it."

"but no one's in your head and by the time you translate your thoughts, some essence of them may be lost or perhaps it is just kept."

"it's okay if no one believes like you. all experience is unique, no one has the same synapses, can't think like you, for this be relieved, keeps things interesting lives magic things in reach."

"and it doesn't mean you're not connected, that community's not present, just take the perspective you get from being one person in one head and feel the effects of it. take silence and respect it." 


o nome da  autora desse poema - e protagonista do vídeo - é tanya davis e no site dela tem a íntegra. via

[acho que essa é única pessoa no mundo que entende o que significa, pra mim, ficar sozinha. o quanto eu aprecio. e preciso. 
and, like she says, 'you could be in an instant surrounded if you need'. and 'when you want', i'd add]

7.1.11

PENEIRA


termino o dia e começo o ano com uma sensação de "está tudo errado". e lendo o post da nana, lembro que, como ela, também ensaiei várias listas de balanço de 2010, também não consegui fazer nenhuma. mas já não escrevo mais como antes o que justifica ambas as questões.

está tudo errado.

mas deu tudo certo.

não sei como definir o ano que acabou. não me dou chance nem de pensar, tamanha foi a complexidade e variedade de acontecimentos. tive vários anos dentro do mesmo. a loucura que pedi e despedi. uma sample da história de amor que desejo. a londres que imaginava.

me fudi sozinha tantas vezes quantas foram necessárias. e só me senti solitária em um ou dois momentos, durante o verão, porque eu queria estar com ele. e passou.

não senti nenhuma saudade doída. só fiquei sem chão em willesden green - porque ninguém merece ouvir pagode e português errado em londres. e sei ir de qualquer lugar pra lugar nenhum sem stress.

fiz amigas de verdade.

uma hora, porque vale a pena, vou pontuar os acontecimentos de 2010. agora, preciso decifrar o "está tudo errado". é ele que me leva a mudar, foi ele que me trouxe pra cá.