11.8.11

LONDON RIOTS, O PÓS-GUERRA




A situação que Londres viveu estes últimos dias é muito parecida com a que o Brasil vive há muitas décadas. Desigualdade social, pessoas sem perspectiva de crescimento, corte de investimento governamental em programas para jovens, descaso público.

Quem é o marginal? Quem é deixando à margem ou quem marginaliza?
Quem é o desumano? O que toca fogo como forma de protesto ou o que tira o direito humano à saúde, escola, cultura, diversão?

Não duvido que no meio desses jovens houvesse também aqueles sangue ruins que incitam a violência pela violência. Assim como no meio dos políticos há os que incitam a roubalheira, a corrupção, o nepotismo, e assim vai.

Todo político é ladrão? NÃO
Todo protestante (principalmente desse riot) é marginal? NÃO

Acho que já devo ter postado aqui uma frase que, quando ouvi, virou meu mote. Foi o cineasta Costa-Gavras citando alguém que eu nunca soube quem:

"Quem tem a barriga cheia não entende a fome dos outros".

[só faça um favor: entenda o mais amplamente possível essa frase. obrigada]

ah, as imagens de gozação são daqui

3.8.11

VAI. VOA


Domingo, me desfiz de metade das minhas roupas. E quando digo metade, não é modo de dizer. Talvez até tenha sido mais da metade. E se não foi, ainda vai ser.

Olhei pro bando de mala que me cercava, concordei com o olhar de espanto alheio diante da quantidade e lembrei do absurdo de usar só 10% daquilo. Pensei tudo isso num minuto largo porque acomodou uma ligação rápida para minha mãe: O que você acha de eu dar metade das minhas roupas para a caridade?
"Acho ótimo".
Desliguei e comecei a via crúcis. Dois dias, muita dor nas costas e sentimentos variados. O maior, de vazio. Mas daquele vazio que você sente quando toma laxante depois de uns dias constipada.

O vazio de alívio.

E, assim, comecei a semana na casa provisória.

E estou aqui porque foi um dos insights que tive depois do ritual na República Tcheca.

Têm sido muitos, os insights. Um atrás do outro, nos mais diversos momentos. Sinto que estou trocando de pele, de tantas mudanças.


Roupas,
          pele
              e vão diminuindo as camadas.


imagem