22.9.11

DO "DALMADORM" AO "DÁ UMA E DORME" [#01]



Bom, primeiro, preciso dizer que quem me contou esse trocadilho do título foi minha mãe. Acho até que já falei isso em algum post. É que esse é um remédio já antigo, mas fabricado normalmente até hoje. É ele que me permite viajar 13 horas como se fossem 3. E dormir quando minha cabeça não para, como nessas últimas semanas. O pior, é que tenho tido encontros, ideias, trabalhos e acontecimentos incríveis, não posso reclamar. Mas a cada novo encontro, ideia, trabalho e acontecimento incrível, surgem novos encontros, ideias... bom, deu pra entender.

Então eu corto o comprimido em quatro partes, de acordo com a previsão da minha insônia (minha prima, que é química, disse que é impossível mensurar a substância, e depois que me falou passei a entender - mas não a deixar de fazer - por que tomo um quarto e caio dura e tomo meio e nada acontece).

Eis que hoje chega o namorado latvio da menina latvia do quarto de cima. Foi de manhã, não vi. Eles saíram, eu também. À noite, chegamos quase na mesma hora, mas, de novo, não vi o cara. Tomei banho, algum deles tomou depois, comi e estava fazendo a unha na cozinha (nunca na vida tinha feito a unha na cozinha. Sempre no quarto, na frente do computador ou na sala, na frente da tv) e ouço um rangido de cama. Casa vitoriana, sempre se ouve tudo, nem presto mais atenção. Mas o rangido foi aumentando, aumentando e eu lá, lixa, empurra a cutícula, tira a pelinha... Aí ouvi umas respirações ofegantes, que ficaram mais altas e tive certeza. E eu ali, escolhe a cor, passa uma camada, espera secar... Terminei a primeira mão junto com eles. E fiquei muito preocupada comigo porque eu ficava ouvindo aquilo e fazendo análise, do tipo "Nossa, mas ela tem uma carinha de santa", "Putz, será que foi rápido assim ou eles começaram antes e eu que não ouvi?", "Onde será que fica a Latvia?",  como se algumas dessas observações fizessem sentido, tivessem importância ou me dissessem respeito. Ok, tem dias que você não tá no clima mas, geralmente, você fica minimamente horny numa situação dessas. Eu, terminei as de pintar as unhas. Com ar de tédio e cara de paisagem.

Definitivamente, preciso parar de tomar comprimido pra dormir.

E viva a Latvia, seja lá onde for.

6 comentários:

Anônimo disse...

Conclusão: bora fazer as unhas na Latvia?

Isabela disse...

Já comprei os tickets!

Lena disse...

Latvia é o q nós chamamos de Letonia. Fica entre a Lituania e a Estonia e é um país bem frio...mas ao que parece nem tão frio assim.

Saudade de vc...e das casas vitorianas.

caso.me.esqueçam disse...

vei. li os posts que eu nao tinha lido e queria comentar esse. deixei o teu blog aberto e fui atualizar o meu. nesse meio tempo, escuto os gemidos da minha coloc (da louca que mora comigo). gerggg. por que esse povo tem que passar um ano gemendo, hein? eu tentando me concentrar e... aff...

caso.me.esqueçam disse...

(comentario de quem nao tava trepando hahahaha)

Diário de um Bipolar disse...

Também postei sobre o Dalmadorm.
Dá uma olhada no meu blog.