12.12.11

HEADMASTERS



De quando ser jornalista faz bem pra alma. Porque um entrevistado, além de render o suficiente pra sua matéria, te leva pra uma música, uma dança, várias poesias. Que só tangenciam aquele tema inicial. Porque é mais a conversa do que a entrevista que conta. E o fato desse entrevistado ser um acadêmico, não é um detalhe.
Vai ficar pra outra encarnação o casamento, mas meu flerte com a academia será eterno.


Neste post, coloco só Headmaster Ritual. E, claro, na voz de Tom Yorke, porque eu tenho minhas particularidades fetichistas.

Nenhum comentário: