2.2.12

DURA MATER



Jantava com meus pais quando um jornal noticiou, na televisão, a morte de uma procuradora x dentro de casa, pelo marido (apesar das medidas judiciais protetivas).

Minha mãe, que por x ouviu "de justiça", disse que, pela posição profissional, ela poderia estar armada.

Eu, que por x ouvi "federal" (e considerando que minha mãe também é procuradora), perguntei:

- Por que, você tem arma?

Ao que ela retrucou "Que? Se eu tenho asma? Por que?"

Como já ando impaciente com essa surdez, respondi com outra pergunta, pra ela juntar lé com cré e entender o que eu tava falando. Falei: mãe, qual é o contexto?

E ela:

"Mas esses tão ótimos, a Nilda comprou antes de ir embora. Tem de outro tipo ali também, se você quiser".

Juro, olhei pra um lado, pro outro, pra cima, pra tv, pro meu pai, que já tinha saído, voltado e perdido parte daquilo que não sei se podemos chamar de diálogo. Mas capitulei: Péra, o que foi que vc entendeu que eu perguntei, mãe?

"Ué, se tem pão fresco. Por que?"


[eu não sou monstra: a surdez da minha mãe decorre, simplesmente, de falta de atenção. caso contrário, eu teria toda a paciência do mundo. mas indicaria um aparelhinho auditivo]

4 comentários:

caso.me.esqueçam disse...

caralho! minha tia eh assim! hahahahaha a pessoa fala uma coisa, ela responde outra e voce fica... q?

S. W disse...

HAHAHHAHAHAH minha mae eh assim. Agora quer ver rolar de rir no chao e ficar sem ar e juntar a surdez da minha mae no telefone com o meu marido que entende tudo errado em portugues, alias nao passa nem perto.


No final ficam os dois putos comigo.

beijos

disse...

ahahahaha
muito boa!!!!!!!!

Isabela Mena disse...

ainnn gente, que bom saber que não é só lá em casa
:-P