16.5.12

PELO CONTRÁRIO



Eu doía. Doíam minhas pernas, minhas espaldas, meu ombro esquerdo doía. E assim doendo continuei dias, noites, senta, levanta, frio, calor, as práticas. Até que, por outros motivos, marquei horário com o Cacá (já falei dele aqui) e me arrependi. Pensava, enquanto o sono não vinha: putz, o que vou falar amanhã pro Cacá? Tá tudo bem, não tem o que falar, por que eu fui marcar? Vou ter que acordar cedo pra ir... Agora não dá pra desmarcar.

Fui.

- Isabela, você tá branca, o que você tem?

E antes que eu falasse, ele, ainda me olhando, completou com algo como "falta energia em você, como está sua alimentação?"

Descrevi minha alimentação, minhas práticas e minhas dores. E entendi que faltava proteína no meu quase vegetarianismo (eu ainda como peixe). Principalmente em dias de atividade física no limite da exaustão. Daí que contei pra ele a chamada na chincha que tinha levado numa aula de hatha yoga por querer fazer aulas seguidas - a intenção da professora (que não é a minha mestra) foi boa, claro, mas tudo na vida tem um contexto.

- Isabela, você tem muita energia, tem que fazer muita atividade mesmo, forte.

[daí que eu entendi também que algumas pessoas pensam que estou ansiosa quando, na verdade, só tô cheia de energia pra gastar. ah, minha gente, nunca lidei tão bem com a ansiedade como agora]

Saí de lá e fui pra Liberdade, comprar proteínas, suplementos, algas e afins.

[alimentação 100% ayurvédica: meta que só ainda não aconteceu. ainda]

[quando o mestre é espiritual a consulta não se limita ao tempo e espaço convencionais]

[antes que você aponte esse indicador julgando, ele é mestre espiritual. mas tem também degree, master e setecentas especializações 'convencionais'. que eu tô zen mas não sou burra. pelo contrário.]

[pelo contrário]


Nenhum comentário: