25.6.12

QUANTO DESSERVIÇO, ELBA RAMALHO...




Um programa de TV que tem me emocionado muito ultimamente é o Viver com Fé, do GNT. Apresentado, produzido e acho que (pelo menos parcialmente) idealizado pela atriz Cissa Guimarães, o programa é divido em episódios semanais, de meia hora, em que duas pessoas (conhecidas ou não do público) contam histórias de seus caminhos espirituais. A religião católica esteve presente mais de uma vez, o que, a princípio, me incomodou - eu acredito no conceito de que os dogmas (como o catolicismo) foram criados justamente para afastar as pessoas da espiritualidade, para atingir seus maiores interesses, o poder e o dinheiro. Mas procurei baixar meu julgamento e assisti cada um desses episódios até o fim. E me emocionei. Porque pensei que apesar do catolicismo ter tudo isso, pode não ser apenas isso - pode ter uma origem que desconheço. Tentei justamente não ser como acredito que eles (católicos dogmáticos) sejam, maniqueístas.

Então, 

quando passou o episódio em que Elba Ramalho fala sobre sua fé, assisti de coração aberto. A crença dela é supercatólica. Não me identifiquei, mas respeitei e fiquei emocionada.

Até que

eu tivesse lido o post da Lola sobre Elba defendendo a completa criminalização do aborto. Lê lá. Ela é contra o Estado laico, minha gente. Ela quer que a crença dela valha para todos. Ela quer que a crença dela legisle sobre o corpo alheio. Ela é contra a liberdade de escolha - e ajuda a sedimentar aquela ideia ignorante de que descrimalizar o aborto é obrigar mulheres a abortarem. Esse tipo de postura totalitária está no cerne do DOGMA CATÓLICO. E é a anti-espiritualidade. 

Porque

espiritualidade, em essência, é você se conectar com algo maior (com a liberdade de dar a esse algo o nome que quiser e NUNCA criticar ou desmerecer o algo do outro) por meio de si mesmo, OLHANDO PRA DENTRO. E dentro, meu amigo, opa, você vai ver muita sombra, muita merda. Porque somos humanos e imperfeitos. E, como em terapias analíticas (mesmo que nem a psicanálise seja considerada ciência, ela é o que mais se aproxima do paralelo possível, pra fim de comparação prática, entre espiritualidade e ciência), você vai trabalhar as SUAS QUESTÕES. Não as dos outros.

Aliás,

é a comparação que me parece mais clara: a espiritualidade está para o psicólogo sério (seja psicanálise ou qualquer outra linha, contanto que o profissional seja bom) assim como o dogma católico está para o psicólogo charlatão - ou você nunca ouviu falar daquelas pessoas que fazem terapia pra ficar ouvindo o profissional tomando partido (delas) e 'analisando' o comportamento alheio (metendo o pau na mãe, no pai, no irmão...)? Opa, existe muito. 


***

'Elba Ramalho pede proteção divina contra feministas'. Mas que bobagem... Porque por mais que o catolicismo insista em dizer, não existe esse tipo de deus. Ele é criação da cabeça e da conta bancária de pessoas como ela. 

[quanto desserviço, elba ramalho... às mulheres, ao país, à espiritualidade e até, porque quero crer que haja algo bom ali, ao catolicismo]

8 comentários:

Amanda disse...

Clap, clap, clap! :D

Lau_roots disse...

Eu só peço a Deus que não lamente tanto as insanidades proferidas por suas criaturas

Isabela Mena disse...

é, amigas, não é fácil...

Alexandre Ferrari disse...

Olha, cada um acredita no que pode, diz o que pode e acha que quando diz diz o que deveria dizer, portanto, não há mais luta inglória do que achar que as pessoas deveriam pensar assim ou assado. A Elba diz o que acredita (e temos, mesmo que não concordemos com ela) lutar para que as pessoas possam dizer o que elas querem dizer: isso é democracia.
Não concordo com a postura dela, mas quem disse que todas as minhas posturas são dignas de confiança.

Isabela Mena disse...

Acho que vc não entendeu o post, Alexandre. Ele não discute liberdade de expressão e sim a secularidade do Estado. De qualquer forma, passa, sim, pela liberdade, mas defendendo, justamente o contrário do que a Elba propõe.

Gabriela Galvão disse...

Ela virou sabe o qe? Esse povo qe vai pra porta de clínica de aborto jogar com a fragilidade alheia.

Ela faz isso! Diz qe impede assassinatos, tda cheia! Já vi um vídeo, vi ELA falando. É sofrível.

E negócio de liberdade de expressão: tem qe ter, mas tudinho na vida tem limite. Vc pode falar tudo, mas depende de onde, do qe. Se for ofender outrem, ñ pode ser em público, ñ pode. Ñ pode poder!

Beijo, Isabela.

Fernanda Curvellano disse...

poxa, posso me retirar agora? estou me sentindo humilhada com seu texto (no bom sentido). Você escreve muito bem, cara. E tem ótimas ideias também, ótimos argumentos e por ai vai. Concordo com você, sabe? Mas ainda penso que a maior parte dos católicos não é a favor, por exemplo, da criminalização do aborto. Na verdade, acho que muitos deles nem se preucupam em formar uma opnião a respeito. Gostei daqui, beijos!

Isabela Mena disse...

Pois é, Gabriela, complicado isso, viu...

E Fernanda, obrigada pelas palavras elogiosas, querida!

Bjs pra vcs!