20.11.12

EU NÃO QUERO MAIS SAIR DE 1Q84



Durou cerca de uma semana - não consigo lembrar o dia em que comecei. Sei que não larguei até o fim, torcendo pra que não houvesse essa coisa chamada vida nos intervalos da leitura. E havia, e eu saía de casa pra voltar seca pela continuidade da história, mesmo que fosse madrugada, mesmo que capaz de ler apenas duas ou três páginas antes que o sono me derrubasse.

Mas isso não é tudo.

Sexta-feira, eu vi Aomame. Almoçávamos, as duas, no mesmo restaurante. Não contei para as pessoas que estavam comigo nem, na verdade, achei mesmo que fosse ela. Mas quando bati os olhos naquela moça japonesa, que comia com um amigo na mesa da frente, vi a personagem do meu livro. E fui imediamente transportada pra história, por alguns instantes, a despeito de não estar sozinha. Porque ver é diferente de imaginar. E, como eu disse, eu vi.

À noite, fui numa pizzaria. E tudo corria bem (ou seja, no mundo real) até que eu fosse ao banheiro. Até que eu tentasse sair do banheiro. Que tinha várias portas e me remeteu - física, literária e loucamente - a um labirinto. Por alguns longos segundos achei que não fosse conseguir encontrar a saída.

Então, no dia seguinte, eu cheguei ao fim do livro 1. Pra minha angústia.

Mas um trecho da crítica do The New York Time Book Review na orelha da contra-capa daria sentido aos acontecimentos do dia anterior (que, eu ainda não sabia, continuariam acontecendo):

"Murakami é como um mágico que explica o que está fazendo conforme apresenta o truque, e mesmo assim faz parecer que tem poderes sobrenaturais (...). Qualquer um pode contar uma história que se pareça com um sonho, mas é raro o artista, como ele, que nos faz sentir como se nós mesmos a estivéssemos sonhando."

[e já dizia calderón de la barca...]

***

O livro 2 só vai ser publicado no Brasil ano que vem.

A imagem é de uma crítica do The New York Time Book Review que eu não sei se é a mesma da contra-capa da versão brasileira da Alfaguara. Não li - fala sobre mais de um volume e fiquei com medo de ter spoiler.

***

[a asserção "essa coisa chamada vida nos intervalos da leitura" só é possível se você acreditar no paradoxo como condutor da sobrevivência]

[leitura vida est]

[y todavía sueño]

2 comentários:

Carol disse...

Obrigada por dividir esta dica tão bacana de leitura!
Eu estava comprando livros e resolvi incluir o 1Q84 depois de ler seu post. Devorei em poucos dias e também estou ansiosa pelo livro 2.
Abraço

Isabela Mena disse...

Ahhhh, que legal, Carol, fico feliz! O ruim é ficar sem saber sobre o Povo Pequeno até ano que vem, né? :-P
beijo!