6.11.13

COLETIVO



Vira e mexe, faço, mentalmente, curadoria de post. Isso acontece quando pessoas que não se conhecem escrevem, em algum lugar online, frases que se complementam, contrapõe, são iguais, se parecem… enfim, parece combinado, é uma coisa meio doida. E sei que não acontece só comigo. Hoje, lendo o texto do Emilio Fraia (o mesmo do post anterior), na parte em que ele fala do filme Mother, tive quase um déjà vu ao contrário. Fiquei pensando, pensando... onde é que eu tinha lido a ideia oposta? No facebook do Mario Amaya, alguns dias antes, sobre Blue is the Warmest Color.




"Apesar da dança excelente, esta cena de abertura pode sugerir que pela frente vamos esbarrar numa história lírica, existencial, morosa e/ou contemplativa. Nada mais errado. Mother é um filme praticamente de ação, thriller dos melhores (…)."




"Inexplicavelmente, ao ver o trailer senti a mesma pancada no peito que dá na protagonista ao virar o rosto para contemplar pela primeira vez aquela que será sua futura namorada. Eis um trailer que consegue comunicar o espírito intenso do filme, considerado por alguns como controverso (…)."

Nenhum comentário: