13.12.13

"MEU CORPO FERIDO, POR MAIS QUE EU AINDA PERCA ENERGIA, PRECISA PORTANTO VIRAR LITERATURA"



Li Divórcio, do Ricardo Lísias, numa tarde.

Depois, fui procurar as resenhas e críticas na internet, principalmente nos grandes jornais - se você conhece a história, sabe o porquê. E fiquei com um sorrisinho irônico de satisfação ao perceber que todas eram positivas - não teria como não ser, é um livro ótimo.

Esqueça apenas um textinho ordinário, na Folha, que começa dizendo que o divórcio em questão se deu três meses após o casamento. Oi? Um jornalista que não se dá ao trabalho de ler o livro antes de escrever sobre ele… ouch!


O Ricardo Lísias, escritor, deve ter dado risada.

O Ricardo Lísias, personagem, diria (e disse) que muito jornalista falou do romance sem ler. E que falar mal da grande imprensa é chutar cachorro morto.


Algumas resenhas falam lindamente da forma, da repetição proposital, do arranjo das palavras. Outras da ironia deliciosa, da delicadeza da perda e da reconstrução da pele e da vida. Da morte.

Lê o livro.



[eu fiquei com preguiça de entrar no mérito de 'divórcio' ser ou não verídico]

[até porque isso é óbvio]

Nenhum comentário: